Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Hospital confirma morte cerebral de cinegrafista da Band ferido em manifestação

Nesta segunda-feira (10/2), o Hospital Municipal Souza Aguiar confirmou a morte cerebral de Santiago Andrade, cinegrafista da Band, atingido por um rojão, durante manifestação contra o aumento da passagem de ônibus no Rio de Janeiro (RJ), no dia 6 de fevereiro passado.

Andrade, que completaria 50 anos em setembro, estava em coma induzido após passsar por uma cirurgia no mesmo dia da agressão. Ele tinha 20 anos de profissão, dez deles atuando como cinegrafista da TV Bandeirantes.

No último domingo (9/2), o tatuador Fábio Raposo Barbosa, de 22 anos, suspeito de participação no lançamento do rojão que feriu o cinegrafista, foi preso na casa dos pais, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio. No sábado (8/2), ele se apresentou à polícia e confessou que era a pessoa que, nos vídeos divulgados pela imprensa, passa o artefato para o homem que o acendeu. 


Embora negue conhecer o tal homem que acendeu o rojão, o delegado Maurício Luciano, que investiga o caso, acredita que ele teve participação. O tatuador foi indiciado por suspeita de tentativa de homicídio qualificado por uso de explosivo e crime de explosão durante o protesto. Além disso, ele tem registro em atos violentos em manifestações nas 5ª e 14ª delegacias de polícia do Rio de Janeiro (RJ) por danos ao patrimônio público, ameaça e formação de quadrilha. 
A polícia vai tentar recuperar sua página nas redes sociais e sondará seus contatos para identificar o atirador. Ele se prontificou a fazer um retrato falado do suposto cúmplice.

Família lamenta violência

Casada há trinta anos com o cinegrafista, Arlita Andrade concedeu entrevista ao “Bom Dia Brasil”, da TV Globo. Gravada na noite do último domingo (9/2), após a visita ao marido na UTI, a esposa afirmou que o marido não poderia “estar indo embora em vão”. “Hoje quando entrei, eu senti que ele não estava nem mais lá. Ele já não estava lá. Eu fiquei pensando isso. Eu tenho que botar para fora, tenho que mostrar que ele não pode estar indo embora em vão. Ele não pode estar indo embora em vão”.

Professora de uma creche, Arlita disse que vem recebendo informações da polícia e que não perdoa quem feriu seu esposo. “Perdoar? Meu marido está indo embora, eles destruíram uma família, uma família que era unida, muito unida mesmo”. E completa: “O que mais me deixa triste é porque ele estava fazendo trabalho para mostrar para mundo, não estava fazendo trabalho para ele. E ele mesmo não vai ver... Ele fazia com maior carinho, tanto que quando foi caindo a gente nota que ele ainda foi segurando a câmera”.

Repercussão

Após a confirmação do falecimento do cinegrafista, jornalistas e colegas de Santiago na Band expressaram nas redes sociais tristeza e indignação pelo desfecho trágico do caso.

Segundo Alexandre Praetzel, repórter da rádio Bandeirantes, "O jornalismo está de luto.Brasil, terra sem lei e impunidade".


O sociólogo Emir Sader disse que a morte do profissional deveria ser respondida com "uma grande mobilização pela paz no Rio".


José Calil, comentarista da rádio Transamérica, questionou. "O Brasil é um dos campeões mundiais de agressões e mortes de jornalistas em serviço. Agora foi o cinegrafista da Band. Quem será o próximo?". 

Diretor de redação do Destak, Márvio dos Anjos comentou: "Não é a morte de um colega de profissão que me abala. É a morte de um INOCENTE, numa trama densa de interesses difusos e violências.

Segunda, 10/02/2014 - Portal imprensa


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...