Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Divulgados ganhadores dos Prêmios de Comunicação da CNBB - Edição 2014

Entre os mais de 50 trabalhos inscritos na edição 2014 dos Prêmios de Comunicação da CNBB, 15 obras foram selecionadas. Na categoria em que participam, os veículos receberão os troféus Margarida de Prata para o cinema, Clara de Assis para a televisão, Dom Helder Câmara para a imprensa e Microfone de Prata para o rádio. A cerimônia de entrega dos prêmios será no dia 1º de maio, durante a 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em Aparecida (SP).
A assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, irmã Élide Fogolari, comenta que a qualidade dos trabalhos que concorreram aos prêmios superou as expectativas. De acordo com a religiosa, a premiação vem cumprindo seu papel de incentivar a comunicação à serviço da vida e a promoção dos valores cristãos.
“Ao anunciar os vencedores, queremos renovar nossos agradecimentos pela participação de todos. Nos chamou atenção, mais uma vez, a qualidade dos trabalhos inscritos, prova do quanto podemos contar com profissionais trabalhando sério por uma comunicação pautada nos valores humanos, cristãos e éticos, base de uma sociedade democrática e cidadã”, destacou.

Selecionados
As produções foram avaliadas por um júri constituído por profissionais e pesquisadores nas respectivas áreas. Os trabalhos escolhidos tratam de temas atuais como a pobreza, juventude, fé, questões sociais, povos indígenas, tráfico de pessoas, entre outros.
Em carta enviada aos participantes, assinada pelo arcebispo de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão, dom Dimas Lara Barbosa, a CNBB agradeceu a todos que enviaram suas produções, motivando para que os veículos prossigam no compromisso com a comunicação cidadã.

Confira os ganhadores

1. Margarida de Prata – a) Revelando Sebastião Salgado, documentário de Betse de Paula; b) Por uma questão de justiça, os advogados contra ditadura, documentário de longa-metragem de Sílvio Tendler; c) Rio de Fé: um encontro com Papa Francisco, documentário de longa-metragem de Carlos José Fontes Diegues; d) Às claras, menção honrosa, de Evandro Lima Rodrigues e e) Remoção, menção honrosa, de Mariana Campos da Silva.

2. Clara de Assis – a) reportagem Visita do Papa Francisco ao Brasil, de Luiz Petry e Equipe, da TV Rede Globo b) O documentário Nossa Senhora Aparecida, de Luís Otávio da Silva, da TV Canção Nova e c) documentário Populações Vulneráveis, de Solange Calmon, da TV Senado.

3. Dom Helder Câmara de Imprensa – a) a reportagem História de um refúgio, do jornalista Fernando Geronazzo de Souza, publicado na Revista Família Cristã; b) reportagem Excluídos – Quilombolas / Indígenas / Ciganos, dos jornalistas Maristela Crispim, Fernando Maia, Iracema Sales e Melquíades Júnior, do Jornal Diário do Nordeste e c) reportagem Especial – Jornada Mundial da Juventude, da jornalista Júlia Fátima de Jesus Cruz, do Jornal da PUC-Rio.

4. Microfone de Prata – a) categoria entretenimento, Programa - Faixa Neojiba, da Rádio Vida FM, Arquidiocese de Salvador - b) categoria jornalismo, Jornal Primeira Hora Rádio, da rádio Rio Mar da Arquidiocese de Manaus; c) categoria religioso, - Sala Franciscana, da Rádio 9 de Julho, da Arquidiocese de São Paulo, d) menção honrosa, Bíblia Deus com a Gente, da Paulinas Rádio

Reconhecimento
Completando 46 anos, o prêmio Margarida de Prata é um dos mais antigos. Foi criado em 1967 e já premiou mais de 100 filmes brasileiros entre longas e curtas-metragens e menções especiais. Para o professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e crítico de cinema, Miguel Pereira, os trabalhos selecionados na edição deste ano "têm em comum um olhar generoso sobre os homens e as crenças".

Quinta, 27 Fevereiro 2014 - CNBB 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...