Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/07/2017

“Queridos filhos, os agradeço porque responderam ao Meu chamado e porque se reuniram em torno de Mim, em torno da Sua Mãe Celestial. Eu sei que pensam em Mim com amor e esperança. Eu sinto o amor de cada um de vocês, como também a sede do Meu Amadíssimo Filho, que por meio do Seu Amor Misericordioso, sempre e novamente Me envia até vocês. Ele que era homem e Deus Uno e Trino. Ele que por causa de vocês sofreu com o corpo e com a alma. Ele que se fez pão para dar pão às suas almas, para poder salvá-las.

Meus filhos, os ensino como serem dignos do Seu Amor, para poderem dirigir os seus pensamentos a Ele, para poderem viver o Meu Filho. Apóstolos do Meu Amor, os envolvo com o Meu Manto porque como Mãe desejo salvá-los.

Os peço: rezem pelo mundo inteiro. O Meu Coração sofre. Os pecados se multiplicam, são muitos. Mas com a ajuda de vocês, vocês que são humildes, cheios de amor, escondidos e santos, o Meu Coração triunfará. Amem o Meu Filho acima de tudo, e o mundo inteiro por meio Dele.

Não esqueçam nunca que cada irmão seu leva em si algo de precioso: a alma. Por isso, Meus filhos, amem a todos aqueles que não conhecem o Meu Filho, para que por meio da oração e do amor que vem da oração, eles possam tornarem-se melhores, a fim de que a bondade neles possa vencer, para poder salvarem as almas e terem a Vida Eterna.

Meus Apóstolos, Meus filhos, o Meu Filho pediu que amassem uns aos outros; que isto esteja escrito em seus corações e com a oração comecem a viver este amor.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Consistório aborda com realismo e profundidade a beleza da família, afirma porta-voz do Vaticano

O diretor do Escritório de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, ao reunir-se com os meios de comunicação hoje, indicou que o texto introdução ao Consistório Extraordinário para a Família, elaborado pelo Cardeal Walter Kasper, em sintonia com as palavras do Papa Francisco, propõe confrontar com realismo e profundidade a beleza da família.

O ponto de partida, indicou o Pe. Lombardi, é redescobrir e anunciar o evangelho da família segundo o plano de Deus, com toda sua beleza, porque a verdade convence também através da beleza.

Na relação feita pelo Cardeal Kasper também se reflete sobre a família como Igreja doméstica e o conceito de que na família a Igreja encontra a realidade e para ela constitui um caminho para o futuro; a família pode ser um caminho privilegiado de evangelização para as pessoas.

O P. Lombardi indicou que o Cardeal Kasper fala dessa “igreja doméstica”, em sentido amplo, referindo-se não só à família nuclear, mas também alargada, fazendo-a extensiva às comunidades de base, aos grupos paroquiais, entre outros.

O documento, indicou o porta-voz vaticano, consta de uma introdução dedicada ao redescobrimento do evangelho da família, partindo da família na ordem da criação, da visão da família na Gênese e no plano de Deus.

Em uma segunda parte, o documento se refere às estruturas de pecado na família: problemas, tensões entre homem e mulher, entre corpo e espírito, da alienação, dos sofrimentos das mulheres e das mães.

Por último, fala-se da família na ordem cristã da redenção, recorrendo aos textos do Evangelho e do Novo Testamento relativos à família, como a Carta aos Efésios. Trata-se também do matrimônio como sacramento, de sua graça santificadora.

O Cardeal Kasper se referiu também à questão dos divorciados que se tornaram a casar e trata o tema com amplitude e de forma diferenciada, reiterando que neste âmbito se trata de conjugar, de cara à pastoral, o binômio inseparável da fidelidade às palavras de Jesus e a compreensão da misericórdia divina.

Conforme indicou o Pe. Lombardi, o Cardeal citou as intervenções nesta matéria do hoje Bispo emérito de Roma Bento XVI, quando se perguntava se o caminho do sacramento da penitência poderia ser o caminho para dar capacidade às situações difíceis.

Além disso, recordou o discurso que a princípios deste ano dirigiu o Papa Francisco aos prelados do Tribunal da Rota Romana sobre a validez do matrimônio, quando afirmou que a dimensão jurídica e a pastoral não estavam em contradição.


Vaticano, 20 Fev. 14 - ACI/EWTN Noticias 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...