Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/10/2017

Queridos filhos,

Falo a vocês como MÃE, com palavras simples mas cheias de amor e de preocupação, que ME foram confiados por MEU FILHO. É ELE que, do ETERNO PRESENTE, fala a vocês com palavras de vida e semeia o amor nos corações abertos, Por esta razão os peço, apóstolos do MEU AMOR, tenham os corações abertos, sempre prontos à misericórdia e ao perdão.

Pelo MEU FILHO, perdoem sempre ao próximo porque assim vocês terão a paz. Filhos MEUS, preocupem-se com a alma de vocês porque é a única coisa que pertence a vocês realmente. Vocês se esqueceram da importância da família.

A família não deveria ser lugar de sofrimento e de dor mas local de compreensão e de ternura. As famílias que vivem segundo o MEU FILHO, vivem em amor recíproco.

Quando o MEU FILHO era ainda pequeno, ELE ME dizia que todos os homens são SEUS irmãos; por isso lembrem-se, apóstolos do MEU AMOR, que todos os homens que vocês encontrarem são família, irmãos pelo MEU FILHO.

Meus filhos, não gastem seu tempo pensando sobre o futuro, se preocupando. Que sua única preocupação seja viver bem cada momento de acordo com MEU FILHO. Lá está – paz para vocês!

Filhos MEUS, não esqueçam nunca de rezar pelos seus sacerdotes. Rezem para que possam aceitar todos os homens como seus próprios filhos e segundo o MEU FILHO, sejam pais espirituais. Obrigada.


OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Arcebispo primaz da Venezuela pede serenidade aos venezuelanos para evitar mais violência

O Arcebispo de Caracas (capital da Venezuela), Cardeal Jorge Urosa Savino, pediu ao Governo e aos líderes opositores que baixem as tensões para “evitar que uma escalada da violência continue na Venezuela”, e pediu às autoridades que prendam e julguem as pessoas que usaram armas de fogo e provocaram três mortes.

Em declarações a Unión Radio, o Cardeal disse nesta quarta-feira, 19, que “todos devemos aproximar-nos a Deus e procurar verdadeiramente a paz”. O prelado assinalou ainda que os dirigentes do Governo e da oposição têm a obrigação “de animar seus partidários a contribuírem com sua conduta e com suas palavras a baixar as tensões, evitar os conflitos, qualquer tipo de ato de vandalismo e também, é claro, os excessos na contenção ou repressão de atos que possam tornar-se violentos”.

“É preciso baixar o tom da linguagem, evitar atitudes passionais, buscar uma atitude mais pacífica. Quando há uma situação crítica, o importante é que haja uma grande serenidade para tomar as decisões convenientes”, expressou.

O Arcebispo também rechaçou o uso de armas de fogo. “Não entendo por que, mesmo estando proibido pela Constituição, armas de fogo estão sendo usadas na contenção ou repressão de uma manifestação”.

“Se não foram agentes do Estado os que provocaram, por exemplo, os feridos na cidade de Valencia ontem à tarde, então o Governo tem a obrigação de procurar as pessoas que dispararam nestas vítimas, prendê-los e julgá-los”, assinalou.

O Cardeal Urosa também apelou ao Governo do Nicolás Maduro que escute “as razões pelas quais o povo está protestando, não só os estudantes”. Ele recordou que no país há escassez de produtos básicos, insegurança e desemprego. “Os protestos não são apenas de estudantes. Vemos protestos em todo o país”, assinalou o purpurado insistindo em seu pedido de paz.

Nesta quarta-feira está em andamento uma nova marcha em Caracas, onde milhares de opositores e estudantes se mobilizam em apoio a Leopoldo López, dirigente da oposição que se entregou voluntariamente ontem à justiça, e que o presidente Maduro acusa como responsável das mortes ocorridas durante a repressão das manifestações do dia 12 de fevereiro.


CARACAS, 19 Fev. 14 - ACI/EWTN Noticias 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...