Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

No Natal nos fará bem um pouco de silêncio para ouvir Deus

Preparando-nos para o Natal nos fará bem fazer um pouco de silêncio para ouvir Deus que nos fala com a ternura de um pai e de uma mãe: essa é a síntese do que o Papa Francisco disse na Missa presidida na Casa Santa Marta nesta segunda quinta-feira do Advento. 

Inspirado na leitura do profeta Isaías, o Papa sublinha não tanto “o que diz o Senhor, mas “como ele diz”. Deus fala a nós como fazem um pai e uma mãe com seu filho:

“Quando a criança faz um sonho ruim, ela acorda, chora... o pai vai e diz: não tenha medo, não tenha medo, eu estou aqu. Assim nos fala o Senhor. ‘Não tenha medo, verme de Jacó, larva de Israel’. O Senhor tem esse jeito de nos falar: se aproxima ... Quando olhamos para um pai ou uma mãe que falam com seu filho, vemos que eles se tornam pequenos e falam com a voz de uma criança e fazem gestos de crianças. Quem olha de fora pode pensar: mas eles são ridículos! Tornam-se pequenos, ali mesmo, não é? Porque o amor de pai e de mãe tem necessidade de se aproximar, eu digo esta palavra: de abaixar-se precisamente ao mundo da criança. É, sim: se o pai e a mãe falam com ele normalmente, a criança vai entender certamente; mas eles querem tomar o modo de falar da criança. Eles se aproximam, e se fazem crianças. E assim é o Senhor”.
Os teólogos gregos - recorda o Papa - explicavam este comportamento de Deus com “uma palavra muito difícil: a synkatábasi”, ou “a condescendência de Deus que desce para se tornar como um de nós”:

E então, o pai e mãe dizem também coisas um pouco ridículas à criança: 'Oh, meu amor, brinquedo meu ...', e todas essas coisas. Também o Senhor diz: ‘pequeno verme de Jacó’, você é como um pequeno verme para mim, uma coisinha pequena, mas eu amo muito você’. Esta é a linguagem de Deus, a linguagem do amor, de pai, de mãe. Palavra do Senhor? Sim, vamos ouvir o que ele diz. Mas vamos ver como ele diz. E nós devemos fazer o que o Senhor faz, fazer o que ele diz e fazer como ele diz: com amor, com ternura, com a condescendência para com os irmãos”.
Deus, - explica o Papa Francisco citando o encontro de Elias com Deus - é como a “brisa suave”, ou - como diz o texto original – ‘um fio sonoro do silêncio”: assim “se aproxima o Senhor, como o murmúrio do silêncio próprio do amor. Sem fazer espetáculo”. “E se faz pequeno para fazer-me forte; Ele vai para a morte, com a condescendência, para que eu viva”:

“Essa é a música da linguagem do Senhor, e nós na preparação para o Natal devemos ouvi-la: nos fará bem ouvi-la, nos fará muito bem. Normalmente, o Natal parece um festa com muito barulho: nos fará bem fazer um pouco de silêncio e ouvir essas palavras de amor, essas palavras de proximidade, essas palavras de ternura ...Você é um pequeno verme, mas eu amo muito você!’. Por isso, vamos fazer silêncio, neste tempo em que, como diz o prefácio, estamos vigilantes à espera”.


Cidade do Vaticano, 12/12/2013 - Rádio Vaticano 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...