Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Evangelização em palavras e atos

Eles serão agricultores e catequistas; escolhem uma vida modesta por amor ao Evangelho. Assumem tarefas para as quais os padres não são estritamente necessários. Eles são “o coração das comunidades”.


É assim que o Padre Cyrille Sam, diretor do Centro Catequético de Donse, chama os jovens que, após quatro anos de formação, exercem o serviço pastoral e, ao mesmo tempo, vivem como agricultores. Ele diz que o trabalho deles é uma “ajuda inestimável” para a vida da comunidade. Os catequistas são assistentes e representantes dos sacerdotes. Eles fazem a celebração da Palavra quando os padres estão impedidos, fazem a catequese, visitam doentes, dirigem grupos de oração e preparam as pessoas para a recepção dos sacramentos. É a evangelização em palavras e atos, no meio do povo.
Foi em 1925 que os Padres Brancos fundaram o Centro de Formação em Donse, perto de Uagadugu, a capital de Burkina Fasso. Até hoje, pessoas solteiras e também casais, entre 18 e 35 anos, são formados para o ministério pastoral. Seu currículo inclui Estudos Bíblicos, Liturgia, Pastoral, História da Igreja, Antropologia, Sacramentos, Mariologia, Cristologia, Doutrina Social e Filosofia. Ao mesmo tempo, durante dois dias por semana, eles aprendem agricultura e pecuária, carpintaria, jardinagem e mecânica. Para as suas tarefas futuras eles necessitam de tudo isso para poderem atender a todos em qualquer situação.
Durante a formação, eles não recebem dinheiro. Mas, para não começarem vivendo na indigência ou na dependência financeira, e também para serem logo aceitos pelas suas comunidades, eles recebem uma espécie de dote para o caminho pastoral: um grande carrinho de mão para transportar o fertilizante, uma bicicleta para as visitas pastorais de povoado em povoado, um arado e um burro para o trabalho no campo. Dessa forma, os agricultores catequistas e suas famílias se tornam orientadores espirituais que promovem também o desenvolvimento local. No entanto, nos últimos anos de crise os preços para adquirir esses produtos aumentaram enormemente. O arcebispo de Uagadugu vê ameaçada a formação modelo que o Centro oferece, e pede a nossa ajuda.
Os 21 alunos do atual quarto ano de formação não devem deixar de receber o carrinho de mão, a bicicleta, o arado e o burrinho. Disso depende a sua eficácia. As sementes da Boa Nova precisam florescer em Burkina Fasso. A palavra por si só não é suficiente. Ela também precisa, bem concretamente, do arado que prepara o terreno ou da bicicleta para levar a mensagem às pessoas de boa vontade.

A Ajuda à Igreja que Sofre está contribuindo para que este projeto continue gerando amor, manifestado na vida destes jovens.

Segunda, 16/12/2013 - AIS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...