Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Vaticano lança livro sobre diálogo inter-religioso

O presidente e o secretário do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, respectivamente, cardeal Jean-Louis Tauran e padre Miguel Ángel Ayuso Guixot, divulgaram o livro “O diálogo inter-religioso no ensinamento da Igreja Católica”, de autoria do bispo Francesco Gioia, que também esteve presente no evento. O lançamento ocorreu hoje, 12, na Sala de Imprensa da Santa Sé.
O livro apresenta, tanto aos fiéis católicos como aos seguidores de outras religiões, o pensamento oficial da Igreja, segundo o espírito da “Nostra Aetate”, documento elaborado durante o Concílio Vaticano II que fala sobre a aproximação da Igreja Católica com outras religiões, a fim de promover o diálogo e a mútua colaboração.
O volume, que contém mais de duas mil páginas, compreende uma coleção de textos conciliares, encíclicas, exortações apostólicas e discursos proferidos desde o pontificado de João XXIII a Bento XVI. Também há documentos dos setores da Cúria Romana relativos ao diálogo inter-religioso. Ao todo, são 909 documentos dos quais sete são conciliares. Segundo o cardeal Tauran, o livro oferece fácil acesso ao método e aos fundamentos teológicos do diálogo inter-religioso ensinado e praticado no Magistério da Igreja Católica.
“A novidade consiste na coleção de textos de Bento XVI, cuja contribuição foi decisiva. Em sete anos de pontificado, se contam 188 discursos de Bento XVI sobre o diálogo inter-religioso se comparado aos 591 do papa João Paulo II em mais de um quarto de século”, explica. “A atenção a este problema foi constante e crescente nos dois pontificados. Bento XVI propôs o ‘diálogo da caridade na verdade’. Um ano depois do discurso de Ratisbona, 38 muçulmanos eruditos escreveram ao papa um documento que expôs os princípios do Islã e manifestava o desejo da compreensão mútua e de uma relação entre o Islã e o cristianismo baseada no amor de Deus e ao próximo. O resultado da iniciativa foi a criação de um Foro islâmico-cristão, que continua a existir na atualidade”, acrescentou o cardeal.

Terça, 12 de Novembro de 2013 - cnbb 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...