Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/07/2017

“Queridos filhos, os agradeço porque responderam ao Meu chamado e porque se reuniram em torno de Mim, em torno da Sua Mãe Celestial. Eu sei que pensam em Mim com amor e esperança. Eu sinto o amor de cada um de vocês, como também a sede do Meu Amadíssimo Filho, que por meio do Seu Amor Misericordioso, sempre e novamente Me envia até vocês. Ele que era homem e Deus Uno e Trino. Ele que por causa de vocês sofreu com o corpo e com a alma. Ele que se fez pão para dar pão às suas almas, para poder salvá-las.

Meus filhos, os ensino como serem dignos do Seu Amor, para poderem dirigir os seus pensamentos a Ele, para poderem viver o Meu Filho. Apóstolos do Meu Amor, os envolvo com o Meu Manto porque como Mãe desejo salvá-los.

Os peço: rezem pelo mundo inteiro. O Meu Coração sofre. Os pecados se multiplicam, são muitos. Mas com a ajuda de vocês, vocês que são humildes, cheios de amor, escondidos e santos, o Meu Coração triunfará. Amem o Meu Filho acima de tudo, e o mundo inteiro por meio Dele.

Não esqueçam nunca que cada irmão seu leva em si algo de precioso: a alma. Por isso, Meus filhos, amem a todos aqueles que não conhecem o Meu Filho, para que por meio da oração e do amor que vem da oração, eles possam tornarem-se melhores, a fim de que a bondade neles possa vencer, para poder salvarem as almas e terem a Vida Eterna.

Meus Apóstolos, Meus filhos, o Meu Filho pediu que amassem uns aos outros; que isto esteja escrito em seus corações e com a oração comecem a viver este amor.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Pontifícia Comissão para a América Latina debate desafios da Nova Evangelização

Uma comitiva da CNBB participou, no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, no México, da peregrinação e encontro “Nossa Senhora de Guadalupe, Estrela da Nova Evangelização no Continente Americano”. O evento, promovido pela Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL) entre os dias 16 e 19 de novembro, refletiu sobre os desafios da nova evangelização no continente.
Estavam presentes mais 300 convidados de 17 países, entre bispos, presbíteros, religiosos e leigos, além de outras 300 pessoas da arquidiocese mexicana. Integraram a comitiva da CNBB o secretário geral, dom Leonardo Steiner; o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta; o bispo de Caruaru (PE), dom Bernardino Marchió; e o bispo de Camaçari (BA), dom João Carlos Petrini.
Em vídeo exibido na abertura do encontro, o papa Francisco recordou a proposta do Documento de Aparecida de uma Igreja em estado permanente de missão. “A intimidade da Igreja com Jesus é uma intimidade itinerante e pressupõe sair de si mesmo e caminhar, semeando novamente e sempre até onde for possível. Logo, a Igreja não se deve fechar, mas sair das suas comunidades e ter a audácia de chegar até as periferias, que precisam da presença de Deus”, disse o pontífice.

Missão Permanente

Com o tema “Anunciar transbordando de gratidão e alegria. Principais prioridades e acentuações da Missão Continental para a Igreja no Brasil”, dom Leonardo proferiu palestra em que apresentou o projeto “O Brasil na Missão Continental”, que desde 2008 promove inúmeras iniciativas para dinamizar a missão permanente.
Entre estas iniciativas, o secretário geral destacou a realização das semanas missionárias, retiros, encontros de formação nas dioceses; a contribuição das Santas Missões Populares; a campanha “Um milhão de Bíblias”; a disseminação da “capelinha missionária”, além dos vários subsídios produzidos. Dom Leonardo recordou também a realização de seminários sobre temáticas próprias da Missão Continental.
Na palestra, dom Leonardo lembrou que a Assembleia Geral da CNBB de 2011, ao aprovar as novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora, confirmou a continuidade da proposta da Missão Continental, indicando cinco urgências na evangelização. “As Diretrizes têm dinamizado a ajuda às Igrejas particulares, incentivando a missão popular, a pastoral da visitação, ao planejamento pastoral. Uma atenção especial vem sendo dada à realidade urbana, à pastoral ambiental, e principalmente ao tema da paróquia missionária”, explicou o bispo.
Dom Leonardo destacou ainda que a Missão Continental tem despertado as Igrejas particulares para a missão. Desta forma, os leigos assumem o compromisso batismal de serem discípulos missionários. “As Diretrizes para Evangelização buscam expressar a Missão Continental que ajuda no processo de amadurecimento da Igreja no seu caminhar para um ‘estado permanente de missão’ em todo o Brasil”, explicou o bispo.

Missão e Ano da Fé


Durante o encontro, o arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, proferiu a conferência “A Missão Continental à luz do novo pontificado do papa Francisco e dos conteúdos do magistério pontifício no Ano da Fé”.  Inspirado na encíclica Lumem Fidei, ele recordou que, ao final do Ano da Fé, a Igreja deve renovar sua consciência de que o seguimento de Jesus Cristo deve ser essencialmente missionário. “A nossa missão primordial é transmitir a fé por meio do testemunho eficaz de nossa vida cristã, proporcionado ao nosso próximo, pelo contato pessoal, um encontro com Cristo”, frisou o arcebispo.

Quarta, 20 de Novembro de 2013 - CNBB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...