Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

No Angelus, Francisco lembra o Holomodor, maior tragédia da História da Ucrânia. Entenda

Antes de rezar a oração do Angelus com os fiéis presentes na Praça São Pedro, o Pontífice cumprimentou do altar montado no adro da Basílica, todas as famílias, grupos paroquiais, associações e movimentos provenientes de vários países para participar do encerramento do Ano da Fé.
Neste dia, agradecemos os missionários que ao longo dos séculos anunciaram o Evangelho plantando a semente da fé em diversas partes do mundo”, disse o Papa. Entre eles, recordou o Beato Junípero Serra, missionário franciscano espanhol do qual decorrem 300 anos de nascimento. Serra nasceu em 24 de novembro de 1713 em Mallorca e morreu em 28 de agosto de 1784 em Monterrey, no estado da Calofornia, EUA. Foi o fundador de várias missões em Los Angeles, São Francisco, Sacramento e San Diego.
Francisco saudou ainda os participantes do Congresso italiano da Misericórdia e se solidarizou com a comunidade ucraniana que recorda o 80º aniversário do Holodomor, a “Grande Fome”.
O termo Holodomor designa o genocídio praticado pela União Soviética nos anos 1932 e 1933 na Ucrânia após a coletivização forçada. Historiadores indicam que de 3 a 3,5 milhões de pessoas foram eliminadas sistematicamente através da supressão dos gêneros alimentícios produzidos pela Ucrânia e o seu desvio para outras repúblicas soviéticas a preços subsidiados.
A fome era o instrumento usado pela URSS para eliminar qualquer resistência ou oposição da população ucraniana, na época composta por 80% de camponeses, ao regime comunista.
Em 1998, foi instituído no quarto sábado do mês de novembro o "Dia da Memória das Vítimas da Fome e das Repressões Políticas" e as comunidades ucranianas implantadas em diversos países prestam homenagem às vítimas do Holomodor.
Em mensagem enviada ao povo ucraniano no 70° aniversário do Holodomor, em 23 de novembro de 2003, o Papa João Paulo II se referiu ao fato histórico como “um crime atroz cometido a sangue frio pelos governantes daquela época”.  


Cidade do Vaticano, 24/11/2013 - Radio Vaticano / news.va
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...