Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Igreja solidária dos pescadores: Mensagem para o Dia Mundial da Pesca (21 de novembro)

Celebra-se nesta quinta-feira, 21 de novembro, o Dia Mundial da Pesca, que tem como objectivo recordar a situação de precariedade em que vivem muitíssimas comunidades de pescadores, que se dedicam a um dos trabalhos mais perigosos do mundo. Deseja-se também sublinhar a importância de preservar os recursos que o mar oferece. Nesta ocasião, o Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes preparou uma Mensagem, que recorda as palavras que Bento XVI dirigiu, em novembro do ano passado, aos participantes no Congresso que teve lugar no Vaticano: “A vós, pescadores, que procurais condições de trabalho dignas e seguras, salvaguardando o valor da família, a tutela do ambiente e a defesa da dignidade de cada pessoa, quereria assegurar a proximidade da Igreja”. 
“O Apostolado do Mar – afirma a Mensagem – quer mais uma vez ser voz dos que não têm voz e denunciar os problemas e as difíceis situações de trabalho e de vida dos pescadores e das suas famílias”. “Renovamos o nosso apelo a todos os governos interessados para que ratifiquem sem mais tardar a Convenção sobre o Trabalho na Pesca, de 2007, a fim de que se garanta aos trabalhadores no mundo das pescas segurança no trabalho, assistência médica contínua, suficientes horas de repouso, um contrato de trabalho e a mesma protecção social de que beneficiam os trabalhadores em terra”.
Recorde-se que mais da metade das pessoas atingidas nas Filipinas pelo .tufão Haiyan são pescadores, que perderam tudo: para além de familiares, as casas e os próprios instrumentos de trabalho. Quem quiser contribuir para o Fundo Especial a favor da gente do mar nas Filipinas encontrará as indicações necessárias no site do Conselho Pontifício . Este Fundo será utilizado para projectos a longo prazo, como reconstrução de alojamento, aquisição de barcos, motores e redes de pesca, e instituição de bolsas de estudo para os órfãos.


Quarta, 20/11/2013 - Radio Vaticano 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...