Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Onde uma minoria é perseguida pela sua fé ou raça toda a sociedade está em perigo, alerta o Papa

O Papa Francisco recebeu nesta manhã uma delegação do Centro Simon Wiesenthal, a organização internacional judaica para a defesa dos direitos humanos e elogiou seu trabalho que combate "qualquer forma de racismo, intolerância e antissemitismo, preservando a memória da Shoah e promovendo a compreensão recíproca mediante a formação e o compromisso social".
O encontro com o Centro Simon Wiesenthal foi agendado por Bento XVI, e o Papa Francisco o recordou assegurando que ao Bispo Emérito de Roma vão sempre "nossos pensamentos afetuosos e nossas orações".
O Santo Padre disse: "tive oportunidade de reiterar várias vezes, nestas últimas semanas, a condenação da Igreja por toda forma de antissemitismo. Hoje gostaria de destacar como o problema da intolerância deve ser enfrentado em seu conjunto: lá onde qualquer minoria é perseguida e marginalizada por motivo de suas convicções religiosas ou étnicas, o bem de toda uma sociedade está em perigo e todos devemos nos sentir envolvidos".
"Penso com particular dor no sofrimento, na marginalização e nas autênticas perseguições que não poucos cristãos estão sofrendo em diversos países do mundo. Unamos as nossas forças para favorecer uma cultura do encontro, do respeito, da compreensão e do perdão recíproco", afirmou.
O Papa Francisco explicou que a formação é de fundamental importância frente a esse objetivo, mas se trata de uma formação que "não é somente transmissão de conhecimento, mas passagem de um testemunho vivido, que pressupõe o estabelecimento de uma comunhão de vida, de uma ‘aliança’ com as jovens gerações, sempre aberta à verdade".
"Devemos saber transmitir não somente os conhecimentos sobre a história do diálogo judaico-católico, sobre as dificuldades atravessadas e sobre os progressos alcançados nas últimas décadas: devemos, sobretudo, ser capazes de transmitir a paixão pelo encontro e pelo conhecimento do outro, promovendo um envolvimento ativo e responsável dos nossos jovens. Nisto, o empenho partilhado a serviço da sociedade e dos mais frágeis".
Para concluir o Papa alentou os membros do Centro Simon Wiesenthal a continuar transmitindo aos jovens "o valor do esforço comum para rejeitar muros e construir pontes entre as nossas culturas e tradições de fé. Sigamos adiante com confiança, coragem e esperança. Shalom!".

VATICANO, 24 Out. 13 - ACI/EWTN Noticias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...