Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Obrigado aos benfeitores da AIS por sua ajuda na construção do nosso convento

Como sempre, o nordeste do Brasil continua sendo a região mais necessitada do país. O Arcebispo Emérito de Natal, Dom Heitor de Araújo Sales, hoje com 87 anos, passou boa parte da sua vida servindo os pobres desta região brasileira.

Durante quase 30 anos como padre, outros 15 como bispo de Caicó e finalmente 10 anos à frente da Arquidiocese de Natal, Dom Araújo, que em 2003 teve sua renúncia aceita pela Santa Sé, continua trabalhando. Ele se define como “o anjo da guarda” da Arquidiocese da qual é Emérito, animando uma série de projetos. Um deles, particularmente querido pelo prelado, é o cuidado das irmãs Carmelitas, que chegaram a Natal a pedido dele. Elas são as primeiras e, até o momento, as únicas religiosas contemplativas na Arquidiocese. Ele recorda ter ouvido de uma senhora que visitou o convento e, após a visita, disse a uma amiga: “você não sabe o que você perdeu!”.
Muitos fiéis chegam ao convento para as missas dominicais enchendo inevitavelmente a capela das irmãs. Dom Heitor observa que ali “há uma grande fome de Deus” entre as pessoas. A comunidade inicial de cinco irmãs estava temporariamente alojada no antigo seminário menor, mas em pouco tempo o espaço ficou pequeno e as irmãs não puderam aceitar mais vocações, até porque já havia sete jovens esperando para ingressar ao convento e não podiam por falta de lugar.
O local era pequeno até mesmo para os trabalhos manuais que as irmãs realizam para ajudar no seu próprio sustento. Apesar de terem uma máquina de costura em um quartinho, elas não tinham nenhum outro meio de trabalho. Entre outras coisas, queriam começar uma pequena fábrica de velas para não depender tanto das doações. Assim, a AIS pôde ajudar as irmãs Carmelitas com uma contribuição para construírem seu próprio convento. Por esta razão, as irmãs querem dizer a todos os nossos benfeitores: “Muito Obrigado!”.

Segunda, 28/10/2013 - AIS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...