Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Heróis católicos contra o holocausto

Os membros da família de dom Józef Michalik, atual presidente da Conferência Episcopal Polonesa, arriscaram a vida em defesa dos judeus do gueto de Zambrow, cidade natal do prelado.
O fato foi comprovado por documentos descobertos recentemente, de acordo com informações da Nasz Dziennik.
O “Livro da Memória dos Judeus em Zambrow”, publicado em Tel Aviv em 1963, descreve a história da comunidade local. Em quase 700 páginas, recopila os muitos testemunhos da história dos judeus em Zambrow e das relações entre judeus e poloneses. No século XX, os judeus em Zambrow eram quase 50% dos moradores da cidade, escreve o jornalista Sławomir Jagodzinski.
De acordo com os relatos dos próprios sobreviventes judeus, as condições de vida eram trágicas não só porque muitas famílias viviam amontoadas em recintos pequenos, mas também porque as pessoas padeciam terrivelmente a fome.
"Bastava oferecer um pedaço de pão de fora do gueto para ser ameaçado com a pena de morte. Isso valia tanto para os poloneses quanto para os judeus. Apesar daquelas punições terríveis e do risco de morte, Dominik e Wiktoria Michalik, pais do arcebispo Józef Michalik, ofereciam comida para os judeus do gueto local", relata, de Jerusalém, Paweł Rytel-Andrianik, que estudou a história do gueto de Zambrow.
Graças a essa ajuda, sobreviveram os judeus Hershel Smoliar, Eleazar Williamowski, os três irmãos Stupnikowie, Beinusz Cervo, Hanna Copermann, Moshe Lewinsky e Moshe Gierszonowicz, que foi salvo pela família de Wiktoria Michalik.

Roma, Zenit - Don Mariusz Frukacz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...