Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Carta dos Direitos Fundamentais da Família será tema de Assembleia, no Vaticano

“A família tem de voltar a ser o centro da cultura, política, economia e da vida dos povos e nações”, disse o presidente do Pontifício Conselho para a Família, arcebispo Vincenzo Paglia, durante a divulgação da Assembleia Plenária desta instituição, a ser realizada em Roma, de 23 a 25 de outubro. 
Além dos trabalhos do comitê da presidência, membros e consultores e das atividades do Pontifício Conselho, serão discutidos, na Assembleia, os direitos da família a partir do diálogo inter-religioso nas perspectivas judaica e islâmica. 
No dia 24, haverá uma conferência aberta ao público sobre a Carta dos Direitos Fundamentais da Família, que completa 30 anos. Serão abordados os fundamentos teológicos da Carta; a concepção do matrimônio natural; o papel do Estado no reconhecimento do matrimônio como instituição; a atualidade pertinente da Carta dos Direitos da Família, mostrando seus laços com a cultura e a sociedade contemporâneas. Também será feito um paralelo entre o documento e a legislação internacional, como também com os direitos da mulher.
Dom Paglia afirmou que “a família deve estar cada vez mais no centro da atenção e preocupação da Igreja”. Disse que a realização do próximo Sínodo recorda esta urgência. “Todas as dioceses do mundo são convidadas a refletir, repensar e dar um novo impulso à Pastoral Familiar”, disse.
O papa Francisco receberá, em audiência, os participantes da Assembleia, no dia 25 de outubro. Neste mesmo dia, na parte da tarde, será apresentado o 8º Encontro Mundial das Famílias, que acontecerá na Filadélfia, Estados Unidos, em setembro de 2015.

Peregrinação
Cerca de 1500 famílias devem participar da peregrinação ao túmulo de São Pedro, nos dias 26 e 27 de outubro. A peregrinação está em sintonia com o Ano da Fé e abordará o tema “Família, vive a alegria da fé”.
No sábado à tarde, as famílias procedentes de setenta países dos cinco continentes se encontrarão, pela primeira vez, com o papa, na Praça de São Pedro. No domingo, após a celebração eucarística, o pontífice abençoará todas as famílias do mundo. “No sábado à tarde, haverá centenas de crianças e idosos próximos ao papa. Uma novidade com relação aos outros encontros com as famílias. Tal ação dará visibilidade às gerações que caracterizam e enriquem as vivências de cada família e, ao mesmo temo, relevo a dois grupos particularmente frágeis e dignos de maior atenção”, explicou o subsecretário do Pontifício Conselho, monsenhor Simón Vázquez.

Quinta, 10 de Outubro de 2013 - cnbb 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...