Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/02/2018

Queridos filhos !

Vocês a quem o MEU FILHO ama, vocês a quem EU amo imensamente com o MEU AMOR MATERNO, não permitam que o egoísmo e o amar muito a si mesmo reinem no mundo. Não permitam que o amor e a bondade fiquem escondidos. Vocês que são amados, vocês que conheceram o AMOR do MEU FILHO, lembrem-se que ser amado significa amar. Filhos MEUS, tenham fé: quando vocês tem fé, vocês são felizes e difundem a paz. As suas almas exultam de alegria. Nestas almas está o MEU FILHO: quando se doam pela fé, quando se doam pelo amor, quando fazem o bem ao próximo, o MEU FILHO sorri em suas almas. Apóstolos do MEU AMOR, ME dirijo a vocês como MÃE, os reúno em torno de MIM porque desejo conduzí-los no caminho do AMOR e da FÉ, no caminho que leva até a LUZ DO MUNDO. EU estou aqui pelo AMOR e pela FÈ; porque desejo abençoá-los, porque EU desejo, com a MINHA BENÇÂO MATERNA, dar a vocês força e esperança no seu caminho. Porque a estrada que conduz ao MEU FILHO não é fácil, é cheia de renúncias, de dar-se, do sacrifício, do perdão e muito, muito amor mas este caminho conduz à paz e à alegria. Filhos MEUS, não acreditem nas vozes falsas que falam de coisas falsas e de luzes falsas: vocês, filhos MEUS, voltem para a SAGRADA ESCRITURA. Com imenso amor EU os vejo e, PELA GRAÇA DE DEUS, EU ME MANIFESTO A VOCÊS. Filhos Meus, caminham COMIGO. Que as almas de vocês exultem de alegria.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Nossas decisões

Você provavelmente já teve que tomar decisões que mudaram o rumo de sua vida.
Estamos constantemente decidindo algo. Qual roupa usar em determinada ocasião, mudar ou não de emprego, para onde viajar, etc. São muitas as situações em nossas vidas em que passamos por um processo decisório. Isso mesmo! Decidir é um processo.
O primeiro passo é reconhecer ou identificar as nossas opções. Depois passamos por uma seleção, reduzindo as nossas opções. Em seguida, avaliamos cada opção restante utilizando critérios diversos. Enfim, tomamos nossa resolução.
O mundo vem nos apresentando soluções fáceis para problemas difíceis (divórcio, aborto, pena de morte, eutanásia, lipoaspiração, etc.). Mas é importante ter consciência de que, todas as nossas decisões têm consequências. E como cristãos, precisamos lutar contra as decisões que levam a condenação eterna. Não só as nossas, mas a dos nossos irmãos também.
Nossas decisões devem ser pautadas pela razão, que nunca é contrária a fé.
Com certeza, encontraremos na Palavra de Deus as respostas para as dúvidas em nossas decisões. Mas, não é abrindo a Bíblia e pegando um versículo a ermo, como em um passe de mágica. A constante escuta e meditação da Palavra de Deus produzem efeitos contínuos de sabedoria e graça. “Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo o que vos tenho dito” (Jo 14,26).
Escutar a Deus é a única garantia de acertar. Mas o mundo está silenciando a voz de Deus. Não que ele impeça o Senhor de falar, mas quando não se é ouvido, o efeito é o mesmo do silêncio. Estamos sofrendo devido a nossa falta de intimidade com Deus, pois é Ele que nos move a escolha certa. A Vontade de Deus é nossa única opção, se quisermos encontrar a verdadeira felicidade.
Jesus é o nosso maior exemplo de que, escolher o bem, não nos garante consequências boas. É aí que entra o último passo de nossas decisões: sustentá-las. Talvez seja esse o passo mais difícil.
É possível que precisemos nos decidir todos os dias pela nossa decisão. Ou seja, reassumir o que outrora escolhemos. O padre deve se decidir por ser padre todos os dias. O casado por ser casado todo dia (castidade). O celibatário idem.
Tudo vai depender da decisão que tomamos. Ela não pode ser dúbia ou flácida. Nunca poderemos pensar: “Vou tentar! Se não der certo…”. Esse “se não der certo” abriu espaço para todas as decisões fáceis citadas acima. “É Deus quem, segundo o seu beneplácito, realiza em vós o querer e o executar.” Fp 2, 13
Se decidimos escutando de Deus, firmemos o nosso compromisso com a Sua Vontade, sem vacilar. Caso não tenha sido assim, confie no Senhor que guia os seus caminhos, e Ele te conduzirá a Verdade.
Decidir é o processo que nos salva ou nos condena. Pense nisso.

Marcio Bombacini – Oblato Corpus Christi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...