Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/04/2018

“Queridos filhos,

Através do Grande Amor do PAI CELESTIAL, EU estou com vocês como sua MÃE e vocês estão comigo como MEUS filhos, como Apóstolos do Meu Amor que sem cessar, reúnem-se em torno de MIM.

Filhos MEUS, vocês são aqueles que, como a oração, devem abandonar-se totalmente ao MEU FILHO, a fim de que não sejam mais vocês a viverem, mas o MEU FILHO em vocês; de modo que todos aqueles que não O conheçam, O vejam em vocês e desejem conhecê-lo.

Rezem para que eles vejam em vocês uma humildade decidida e bondade, disponibilidade a servir os outros; que vejam que vocês vivem a sua vocação no mundo com o coração, em comunhão com o MEU FILHO. Que eles vejam em vocês mansidão, ternura e amor ao MEU FILHO, como também aos seus irmãos e irmãs. Apóstolos do MEU AMOR, vocês devem rezar muito e purificar os seus corações de odo que sejam vocês os primeiros a caminhar no caminho do MEU FILHO de modo que sejam vocês os justos unidos pela JUSTIÇA do MEU FILHO.

Filhos MEUS, como MEUS Apóstolos vocês devem estar unidos na comunhão que flui do MEU FILHO, a fim de que os MEUS filhos que não conhecem o MEU FILHO reconheçam uma comunhão de amor e desejem caminhar no caminho da vida, no caminho da unidade com o MEU FILHO.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Na América Latina, mortalidade infantil de crianças pobres é 5x superior à média mundial

Não obstante a queda na taxa de mortalidade materno-infantil na América Latina, continuam a existir graves desigualdades no que diz respeito ao acesso aos serviços de saúde de mulheres e crianças, devido à pobreza. Segundo o Banco Mundial, delegações de 30 países, agências internacionais e a sociedade civil encontraram-se recentemente no Panamá para renovar o compromisso em favor da saúde materno-infantil e, entre os temas principais, foram debatidas formas de evitar que as crianças latino-americanas morram sem motivo.

A iniciativa no Panamá é “Uma promessa renovada” do acordo proposto pela UNICEF para a redução da mortalidade infantil, assinado por 165 países, 32 dos quais encontram-se na América Latina. O encontro teve como objetivo propor medidas para a eliminação da mortalidade infantil ‘evitável’, além de garantir o nascimento das crianças com boa saúde e reduzir a mortalidade a nível mundial de 57 em cada 1 mil nascidos vivos em 2010, para 20 em cada mil até 2035.

Na América Latina e no Caribe, o nível sócio-econômico dos pais continua a ter um grande impacto no futuro dos filhos. Não obstante a queda de quase 50% das mortes registradas nos últimos anos, as crianças das famílias de baixa renda tem uma probabilidade 5 x maior de morrer antes de completar 5 anos de idade. A maior parte destas mortes poderia ser evitada.

Entre os objetivos do encontro do Panamá está também a melhoria da assistência materna. Os primeiros mil dias de vida de um ser humano estão entre os mais importantes e as boas condições da saúde materna são fundamentais para erradicar as mortes infantis evitáveis.

Nos últimos 20 anos, a taxa de mortalidade infantil na América Latina diminuiu 40%. Todavia, não obstante isto, existe grande variação segundo o grupo étnico e as condições sociais ou econômicas das mulheres.

As mortes relacionadas com a gravidez entre as mulheres indígenas da região são três vezes maiores. Na Nicarágua, o problema foi enfrentado instalando clínicas maternas para mulheres grávidas nas zonas remotas do país.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...