Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Vós também, ficai preparados!

Evangelho (Lc 12,32-48)

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Não tenhais medo, pequenino rebanho, pois foi do agrado do Pai dar a vós o Reino. Vendei vossos bens e dai esmola. Fazei bolsas que não se estraguem, um tesouro no céu que não se acabe; ali o ladrão não chega nem a traça corrói. Porque, onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.
Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater.
Felizes os empregados que o Senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar à mesa e, passando, os servirá. E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar.
Mas ficai certos: se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. Vós também, ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”.
Então Pedro disse: “Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?”
E o Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e prudente, que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa, para dar comida a todos na hora certa? Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. Porém, se aquele empregado pensar: ‘Meu patrão está demorando’, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis. Aquele empregado que, conhecendo a vontade do Senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!”
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Como membros de Cristo, inseridos na Igreja Sua esposa, por meio do nosso Batismo, a liturgia hoje chama-nos a atenção para a direção que está tomando a nossa vida. Como verdadeiros e bons filhos de Deus, devemos nos atentar com certa urgência ao rumo de nossa vida para a eternidade.
Em Sua Palavra hoje, Jesus primeiro nos encoraja para o testemunho que devemos dar ao mundo, testemunho convincente de pessoas que por amor a Deus deixaram o supérfluo para experimentarem o que é essencial; pessoas que descobriram na doação total de si mesmas a verdadeira alegria e felicidade. Depois o Senhor nos exorta e nos orienta para a preparação de nossa vida e de nossa alma. É preciso ser vigilantes, prudentes, humildes, enfim, servir bem e com amor para ser servido de acordo com o que merecemos. “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir”, bela lição de humildade e bela compreensão da missão que nos é própria Jesus oferece através de Sua Palavra.
Por último, quando Pedro pergunta: “Senhor, propões esta parábola só a nós ou também a todos?”, Jesus, com Sua suavidade e ternura próprias, faz um chamado mais íntimo e comprometedor a todos, mas só responderá quem quiser, pois como sempre Ele respeita a liberdade de cada um de nós.
Seremos administradores fiéis ou simples operários? Como Ele mesmo sempre ensinou, não quer dizer que um seja maior que o outro, pois diante de Deus somos todos iguais, amados da mesma maneira. Porém, devido ao tempo de nossa caminhada, devido ao alimento que recebemos do próprio Deus, já estamos mais que capacitados para sermos também administradores fiéis que, enquanto o Senhor sai para viajar e resolver seus negócios, cuida de tudo com muito zelo e compromisso.
Se ainda fossemos servos que ignoram a vontade do Senhor… Mas não! Somos aqueles que conhecem a verdade, conhecem a moral e a fé católica, somos os servos e administradores que receberam capacitação, formação, espiritualidade. Somos servos que recebem todas as informações da atualidade, da modernidade e tem a capacidade de optar e escolher pelo certo ou pelo errado.
Por tudo isso não podemos nos privar ou esquivar das Palavras que querem ecoar fundo em nós hoje: “Porque, a quem muito se deu, muito se exigirá. Quanto mais se confiar a alguém, dele mais se há de exigir.”
Somos as testemunhas fiéis, os administradores fiéis, os servos fiéis que o Senhor precisa neste tempo para poder ter voz, ter pernas, ter braços fortes e seguros para guiar e conduzir todas as coisas de acordo com Sua Santa vontade. Empenhemos-nos nesta missão árdua e necessária, pois somos servos do Senhor. Que se faça em nós segundo a Sua vontade.

Elaine Mariano Pacheco
Oblata Corpus Christi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...