Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Transformemos a dor em amor

Cooperação, solidariedade e união são as três palavras-chave do cardeal Luis Antonio Tagle, arcebispo de Manila, Filipinas, para incentivar os fiéis a superar a atual crise causada pelos recentes desastres climáticos.

Conforme relatado pela agência AsiaNews, as chuvas de monções castigaram durante três dias consecutivos a capital das Filipinas e as suas áreas circundantes, provocando oito mortes confirmadas e deixando mais de 500 mil pessoas desabrigadas. De acordo com especialistas, o número de vítimas do mau tempo deve aumentar nas próximas horas, depois da passagem da tempestade tropical Trami, que açoitou grande parte do norte do país.
Um terço da região metropolitana de Manila, com 12 milhões de habitantes, está alagado: a cidade foi quase completamente submersa pela água e só nas últimas horas percebeu-se uma ligeira melhoria na situação. Milhares de pessoas estão alojadas em abrigos ou na casa de parentes e amigos. Escolas e prédios do governo estão fechados.
A Igreja católica filipina lançou rapidamente uma campanha de angariação de fundos para as vítimas. Em algumas dioceses de Luzon, foram distribuídas grandes quantidades de medicamentos e bens de primeira necessidade. Alguns centros diocesanos de ação social hospedaram centenas de famílias, dando-lhes comida e água potável.
A diocese de Imus, sufragânea da arquidiocese de Manila, destinou fundos imediatos para as vítimas das enchentes, enquanto espera novos recursos a ser alocados pela Caritas local. Outras dioceses, como Parañaque e Balanga, apelaram aos fiéis pedindo ajuda em donativos para os necessitados.
O cardeal Tagle pediu diretamente aos cidadãos que, "nesta situação crítica, demonstrem cooperação, solidariedade e unidade".

“Consolemo-nos uns aos outros”, disse ele em entrevista à Rádio Veritas, “com gestos pequenos ou grandes, para aliviar o sofrimento em meio a esta situação crítica” e para “transformar a dor e o sofrimento em amor e amizade entre irmãos e irmãs”.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...