Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Se o grão de trigo não morrer não produzirá fruto

Evangelho (Jo 12,24-26)
Naquele tempo, disse Jesus aos discípulos:«Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto.
Quem se ama a si mesmo, perde-se; quem se despreza a si mesmo, neste mundo, assegura para si a vida eterna.
Se alguém me serve, que me siga, e onde Eu estiver, aí estará também o meu servo. Se alguém me servir, o Pai há-de honrá-lo.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós Senhor.


No Evangelho de hoje, a explicação da parábola da semente que cai na terra germina e dá frutos, somos todos nós que entregamos nossas vidas pela causa do Reino de Deus.
Primeiro, lutamos 24 horas por dia para renunciar o pecado, nos policiando para procurar viver o máximo possível as verdades de Deus em nossas vidas, o que não quer dizer que consigamos totalmente, mas ao menos tentamos. Em seguida renunciamos a uma porção de coisas como o lazer, o convívio total com a família e outras coisas que o mundo nos oferece constantemente. Isso é morrer para a vida deste mundo para que só assim possa frutificar a nossa vida em favor do Reino de Deus. Portanto, o grão que não morre fica só. É simplesmente uma semente que não produzirá nada.
Aqui o trecho do evangelho também se refere àqueles que não se importam com o Reino de Deus. Querem mais é cuidar da sua vida e não têm tempo para Deus. E aí acontece o contrário do que eles almejam. Suas vidas acabam definhando pela ausência de Deus. Por isso, precisamos morrer para os apetites da nossa humanidade que rejeita dificuldade, desapego, sofrimento. Precisamos então morrer, não fazer questão de renunciar, de deixar-se exercitar, de desapegar-se dos bens, dos interesses e das pessoas. Jesus veio nos ensinar que quanto mais nos apegamos à nossa vidinha, ao nosso modo egoísta de viver, maiores são as conseqüências.
O grão, para multiplicar-se em novos frutos, tem que cair na terra e morrer. Assim como a semente morrendo, germina uma árvore enorme que produzirá novos frutos. Isso é doação de si mesmo. Dizer não aos instintos para poder se aproximar de Deus, se santificando para poder santificar os outros.
Devemos plantar nessa vida, para colhermos na vida eterna. Para isso, temos que desprezar a ideologia de sucesso e de poder, que impõe a submissão pelo temor. Quem não teme a própria morte está livre para colocar-se totalmente a serviço da vida eterna. O seguimento de Jesus se dá no abandono total de si mesmo.
A semente que cai na terra tem que primeiro morrer. Se todos nós acolhêssemos esta verdade de coração a nossa vida seria muito mais plena.
Você se liga às dificuldades das outras pessoas? Você sofre com o que passa o seu irmão, ou está sempre girando em torno dos seus problemas? Diante de Deus você se considera justo para com os seus filhos e seus irmãos? Você costuma achar que a sua vontade tem de prevalecer, ou aceita que os outros também têm razão? O que você tem vivido mais na sua vida: a paz ou a discórdia? Com que interesse você trabalha para Deus?
Senhor que a cada dia possamos ter coragem de morrer para esta vida, para que o Senhor possa gerar em nós os frutos que saciam aquelas pessoas que nos aproximam de nós. Amém.

Luis Daniel Mendes
Oblato Corpus Christi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...