Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O Sacramento da Penitência

Jesus Cristo instituiu sete sacramentos, que contemplam toda a vida do cristão Católico, havendo como que certa semelhança entre o curso da vida natural e a vida espiritual. Dentre os sete sacramentos, três deles são de iniciação da vida cristã: o Batismo, a Confirmação (Crisma) e a Eucaristia. Dois deles estão a serviço da comunhão e da missão dos fiéis: o Sacramento da Ordem e o Matrimônio. Finalmente, dois deles são sacramentos de cura: a Penitência e a Unção dos Enfermos.
Além de Sacramento da Penitência, esse Sacramento pode ainda ser chamado de Sacramento da Conversão, Sacramento da Confissão, Sacramento do Perdão ou ainda Sacramento da Reconciliação. Mas gostaria de chamar a atenção para a característica que nossa Igreja atribui a esse sacramento, e que de fato é: Sacramento de Cura. E é particularmente sobre esse aspecto que gostaria de tratar nesse artigo.
Somos pecadores. Esta é a nossa condição. Não somos pecadores porque pecamos; pecamos porque somos pecadores. E o pecado constitui uma ofensa a Deus, uma ruptura da comunhão com Ele. O pecado também, além de ferir a comunhão com Deus, fere a comunhão com a Igreja, com os irmãos.
A graça do sacramento da Penitência reside justamente no fato desse retorno à comunhão com Deus, restituindo-nos a amizade com Ele. Diz o Catecismo da nossa Igreja que aqueles que participam desse Sacramento gozam de grande paz e tranquilidade de consciência, que vem acompanhada de uma intensa consolação espiritual. Quem ao sair da confissão não se sente leve como uma pena? Quem não se sente como que flutuando no espaço? Tudo isso é devido a essa paz, a essa consolação espiritual proporcionada pelo Sacramento. Diz ainda o Catecismo que esse Sacramento traz consigo uma verdadeira ressurreição espiritual, a restituição da dignidade de filho e a restauração da amizade com Deus. Não é sem motivo que esse Sacramento é chamado de Sacramento de Cura, pois verdadeiramente traz consigo a cura da nossa alma.
Como vimos acima, o pecado também fere a comunhão com a Igreja, rompendo a comunhão fraterna. Nesse sentido também, o Sacramento da Penitência repara esse dano, curando não apenas a pessoa que se confessa, mas também tendo um efeito vivificante sobre toda a vida da igreja, que sofreu com o pecado de um dos seus membros.
Se o pecado é uma doença da alma, o Sacramento da Confissão é o remédio para a cura. Jesus Cristo, na pessoa do sacerdote é o próprio médico. Temos então no Sacramento da Penitência o melhor médico e o melhor remédio.

Adilson Angolini
Oblato Corpus Christi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...