Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

No inicio não era assim

Evangelho (Mt 19, 3-12)
Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns fariseus para O porem à prova e disseram-Lhe: “É permitido a um homem divorciar-se da sua mulher por qualquer motivo?”
Ele respondeu: “Não lestes que o Criador, desde o princípio, fê-los homem e mulher, e disse: ‘Por isso, o homem deixará o pai e a mãe e se unirá à sua mulher, e serão os dois um só’? Portanto, já não são dois, mas um só. Pois bem, o que Deus uniu não o separe o homem.”
Eles, porém, objetaram: “Então, porque é que Moisés preceituou dar-lhe carta de divórcio, ao repudiá-la?”
Respondeu Jesus: “Por causa da dureza do vosso coração, Moisés permitiu que repudiásseis as vossas mulheres; mas, ao princípio, não foi assim.  Ora Eu digo-vos: Se alguém se divorciar da sua mulher exceto em caso de união ilegal e casar com outra, comete adultério.”
Os discípulos disseram-lhe: “Se é essa a situação do homem perante a mulher, não é conveniente casar-se!”
Respondeu-lhes Jesus: “Nem todos compreendem esta linguagem, mas apenas aqueles a quem isso é dado. Há eunucos que nasceram assim do seio materno, há os que se tornaram eunucos pela interferência dos homens e há aqueles que se fizeram eunucos a si mesmos, por amor do Reino do Céu. Quem puder compreender, compreenda.”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós Senhor!

No evangelho de hoje encontramos mais uma vez os fariseus querendo colocar Jesus a prova. Mal sabiam eles que aquela resposta seria tão sábia e esclarecedora, e fortaleceria aquilo que Deus deseja a respeito do Sacramento do Matrimônio.
Jesus parte do principio: “no inicio não era assim”. E nessa simples frase traz a tona tudo o que Deus deseja a respeito da constituição de uma família. Quando ele pensou em criar o homem e a mulher, já colocou em seus corações o desejo e a missão de formarem uma só carne, crescer e multiplicar. Porém, como pode se separar aquilo que se tornou uma única “matéria”? Se hoje acontece o divórcio é justamente por causa da dureza de nossos corações, que nos tornamos incapazes de contemplar a grandeza desse mistério. É um chamado pra poucos, e são poucos os que podem compreender de forma madura e consciente.
A Liturgia de hoje nos convida a renovar em nosso coração os propósitos de Deus para nós. Seja no sacramento do matrimônio, na vida religiosa ou como um leigo consagrado, devemos retornar ao principio, origem de todas as coisas, e nessa descoberta é preciso que nosso coração se torne maleável, permitindo que o próprio Criador possa moldá-lo como achar melhor, realizando em nós a vontade do Pai.
Só assim seremos felizes, compreendendo esse amor de Deus por nós e nos dispondo a vivê-lo de forma simples e comprometida.
Peçamos hoje a graça do Espírito Santo, a fim de que Ele dilate nosso entendimento, nossa razão, nosso querer, para que nossas atitudes não sejam farisaicas, mas que tenhamos um coração aberto para cumprir o que Deus Pai planejou para nós.

Laisa Fernanda Pinto
Oblata Corpus Christi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...