Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

"Não dá para admitir tamanha desumanidade", diz filha de Deborah Colker

Clara Colker, filha da coréografa Deborah Colker, publicou em sua página pessoal do Facebook uma carta de indignação criticando a abordagem da empresa Gol que impediu o filho dela, de três anos, de viajar na aeronave por ser portador de uma doença rara.
O menino ia com a família de Salvador para o Rio de Janeiro. A filha da coreógrafa, Clara, falou por meio da rede social a respeito do constrangimento sofrido pela família dentro da aeronave, depois que os comissários de bordo ficaram apreensivos por causa do aspecto da pele da criança. Théo sofre de uma doença congênita chamada epidermólise bolhosa, que causa erupções na pele. Eles só foram autorizados a viajar depois que um médico da infraero foi acionado para verificar a veracidade da informação e entregar um atestado médico ao piloto. Segundo Clara, muitos passageiros também reclamaram do procedimento da tripulação, que classificaram como vexatória e humilhante para o menino. O voo sofreu um atraso de 2 horas até que toda a situação fosse esclarecida. Em nota, a Gol afirma que "preza pelo respeito aos clientes e as normas de segurança. Em relação ao voo G3 1556 (Salvador/BA - Rio de Janeiro / RJ), esclarece que está analisando o ocorrido e tomará as medidas cabíveis."

Veja um trecho da postagem de Clara Colker sobre o assunto:

"(...) Parece cena de filme, parece irreal. Não dá para aceitar que isso foi feito com o Theo. Não dá para admitir tamanha desumanidade (se é que existe essa palavra!). Tem um lado que é minha dor de mãe, de ver meu filho, minha cria, viver isso. Racha meu coração. Tem outro lado cidadã que não acredita que vivenciou essa situação. Preconceito puro, rasgado. Na cara!
Meu filho tem machucados pelo rosto. Sua imagem desperta curiosidade, atenção, olhares como qualquer um outro que não se encaixa nos padrões. Mas e aí?! Qual é o problema disso?
Penso que por ter tais fragilidades deva ser recebido pela sociedade com respeito, amor, zelo, carinho. Além disso é uma criança. Enquanto estou aqui colocando minha raiva para fora, verbalizando essa situação, ele está com ela dentro dele. sem "colocar para fora" sem exorcizar essas angustias... Como é isso? que danos tem isso para ele? como será viajar de avião novamente? ele irá enfrentar? Como será estar em um ônibus, em um local fechado? Ele vai se sentir como? Depois de ter passado por um avião inteiro, cheio de gente, no maior rebuliço olhando para ele, gritando seu nome, gritando as palavras: 'doença', 'pode', 'não pode', 'o que é que o garoto tem'. Eu não sei. Eu estou me sentindo muda, angustiada, presa num presente que me dá medo do futuro.
Nunca imaginei uma empresa fazer isso com alguém. Nunca imaginei uma empresa fazer isso com uma pessoa. Nunca imaginei uma empresa fazer isso com uma criança de 3 anos. Theo faz 4 anos depois de amanhã. A indicação para alguém que tem Epidermólise Bolhosa é levar uma vida normal, a mais normal possível. Meu filho vai a escola, tem amigos, brinca, uma família que o ama mais do que tudo.Pessoas que lhe tratam com muito amor.
A vida dele por si só é sofrida para caramba. O banho é desesperador. Comer dá trabalho, as coceiras a noite, curativos diários e constantes etc, etc etc...
Tudo o que ele precisa é de respeito, carinho, cuidado. Não só ele como qualquer portador de EB. Lidar com a estética deles já é dificil pois tem machucadinhos em todo o lugar do corpo. É uma doença rara mas que muita gente tem e tem milhares de sites na internet, no wikipidia, etc. É muito fácil saber sobre a doença. Nunca que Theo deveria passar por isso. Ele chegou em casa 3 horas depois do previsto, deixou de tomar os remédios na hora certa, não almoçou. Se coçou a beça durante o vôo. Um vôo q duraria 02 hs durou 4hs.
Meu filho foi discriminado, violentado verbalmente. Sofreu preconceito por ter sua pele diferente" (Clara Colker)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...