Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Que o mundo descubra o amor, a verdade e a justiça

Uma sociedade que quer ser livre e justa deve descobrir nas suas relações o respeito pela posição do outro sem perder a sua individualidade. O mundo, muitas vezes, vai pela contramão da boa convivência e do dialogo entre as pessoas, mas devemos procurar o caminho do entendimento e da paz.. Não se pode ter uma paz duradora se não houver o amor, a verdade e a justiça entre todos.
As ideologias humanas, muitas vezes, são entraves para o direito humano de valorização da vida em todos os estágios. Não podemos permitir a cultura da morte e do descartável entre nós. As crianças tem o direito de nascer e os idosos tem que ter uma finitude respeitada, sendo assim a sociedade se humaniza e vive os valores da dignidade humana, mas é preciso que todos se respeitem, sem impor uma posição ou uma reinvindicação a outro.
Não se pode querer uma coisa se eu não respeitar a vida do outro, mas o dialogo e a boa convivência entre as pessoas vai fazer a diferença no mundo.
A pluralidade de ideias, de posições politicas e de religiões diversas deve ter um franco dialogo e respeito, pois todos buscam as verdades e elas vão convergir numa verdade plena que chega a Deus, que é principio e fim de tudo.
As palavras do nosso Papa Francisco para o tempo de hoje é uma orientação segura de um pastor que leva o seu rebanho para Cristo na autenticidade e vivencia da fé. Que a Igreja seja o sinal de acolhida e respeito a todos e que ela seja uma porta aberta onde todos têm lugar e vez. Que ela seja simples e pobre para transmitir a mensagem salvadora de Cristo que é sempre atual para nós. As pessoas possam ser portadores de paz e concórdias entre todos em Cristo.
Todos são chamados a ser missionário de Cristo, sendo irmãos e irmãs de todos, pois juntos somos mais para construir uma sociedade justa e fraterna. Não sejamos entraves para que outros possam entrar e ser ouvido e acolhido como filho e filha de uma Igreja missionária e discípula de Cristo.
A JMJ foi uma demonstração que é possível a confraternização dos povos em vista da paz e respeito pelo ser humano. Não pode haver intolerância entre as pessoas e sim uma busca de um denominador comum que busca soluções dos impasses criados pela sociedade moderna.
A Igreja quer ser parceira nas soluções das desigualdades sociais, econômicas e humanas, mas para que isso aconteça é preciso que haja a sinceridade e abertura de corações entre as pessoas. Ninguém deve ficar de lado do Banquete da vida e cada um deve ter um lugar na mesa sem privilégios, pois isso ajuda a ter mais vida e todos vão sentir saciados em suas vidas, levando-os a uma dignidade valorizada e respeitada por todos.
Que Deus nos ajude a encontrar o caminho, do amor, da solidariedade e da partilha de dons em vista do bem comum e que todos tenham vida sempre. Amém!

Bacharel em Teologia  Benedito Schumann 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...