Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Amar os inimigos é difícil, mas é o que Jesus nos pede. A vingança não é cristã!

Amar os inimigos é difícil, mas é o que Jesus nos pede, afirmou o Papa Francisco em missa na Casa Santa Marta.Como podemos amar nossos inimigos? Em sua homilia, o Papa assinalou alguns exemplos: como podemos amar os que tomam a decisão de bombardear um lugar e matam pessoas?

Como podemos amar aqueles que por apego ao dinheiro não deixam chegar os remédios aos idosos, deixando-os morrer? Ou os que, buscando o próprio interesse, fazem muito mal? 


A liturgia desses dias – prosseguiu Francisco – nos propõe esta “atualização da lei, realizada por Jesus”; da lei do Monte Sinai à lei do Monte das Bem-aventuranças.

“Também nós tantas vezes nos convertemos em inimigos dos outros: não queremos o seu bem. E Jesus nos diz que devemos amar os inimigos! Isso não é fácil! Inclusive pensamos que Jesus nos pede demais. Deixamos isso para as monjas de clausura, que são santas; deixamos isso para as almas santas, mas para a vida comum isso não funciona. Mas deve funcionar! Jesus nos diz: nós devemos fazer isso. Senão sereis como os publicanos, como os pagãos. Não sereis cristãos”.

Portanto, como podemos amar nossos inimigos? Jesus nos diz “duas coisas”, afirmou o Papa: antes de tudo olhar o Pai que “faz nascer o sol sobre bons e maus” e “faz chover sobre justos e injustos”. Deus “tem amor por todos”. Depois, Jesus nos diz que “sejamos perfeitos como o Pai Celestial é perfeito”, “imitar o Pai com a perfeição do amor”. Jesus “perdoa seus inimigos”, “faz tudo para perdoá-los”. Vingar-se não é cristão. Como podemos conseguir amar nossos inimigos? Rezando. “Quando alguém reza por aquele que nos faz sofrer, é como se o Senhor chegasse com o azeite e preparasse nosso coração para a paz”.

“Rezar”. É o que Jesus nos aconselha: rezai por vossos inimigos! Rezai pelos que vos perseguem! E dizer a Deus: ‘mude o coração dele. Tem um coração de pedra, dê-lhe um de carne, que sinta bem e que ame’. Deixo esta pergunta e cada um de nós responde em seu coração: ‘Eu rezo pelos meus inimigos?’ Se a resposta é não, o Senhor diz: ‘Pobre, tu também és inimigo dos demais’”. Segundo o Papa, se não rezamos pelos inimigos, de alguma forma levamos adiante o olho por olho, dente por dente.

“Com o perdão, com o amor pelo inimigo, tornamo-nos mais pobres, o amor nos empobrece, mas esta pobreza é semente de fecundidade e de amor pelos outros. Como a pobreza de Jesus se converteu em graça de salvação para todos nós, em riqueza. Nós que estamos hoje na Missa, pensemos em nossos inimigos, naqueles que não nos querem bem: seria bom que oferecêssemos a Missa por eles”, disse o Papa Francisco.

“E também por nós, para que o Senhor nos ensine esta sabedoria tão complicada, mas tão bela, que nos assemelha ao Pai, a nosso Pai que faz nascer o sol sobre bons e maus. E nos faz parecer com o Filho, com Jesus, que em seu rebaixamento se fez pobre para nos enriquecer com a sua pobreza.”


Fonte: Site Católicismo Romano
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...