Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/04/2018

“Queridos filhos,

Através do Grande Amor do PAI CELESTIAL, EU estou com vocês como sua MÃE e vocês estão comigo como MEUS filhos, como Apóstolos do Meu Amor que sem cessar, reúnem-se em torno de MIM.

Filhos MEUS, vocês são aqueles que, como a oração, devem abandonar-se totalmente ao MEU FILHO, a fim de que não sejam mais vocês a viverem, mas o MEU FILHO em vocês; de modo que todos aqueles que não O conheçam, O vejam em vocês e desejem conhecê-lo.

Rezem para que eles vejam em vocês uma humildade decidida e bondade, disponibilidade a servir os outros; que vejam que vocês vivem a sua vocação no mundo com o coração, em comunhão com o MEU FILHO. Que eles vejam em vocês mansidão, ternura e amor ao MEU FILHO, como também aos seus irmãos e irmãs. Apóstolos do MEU AMOR, vocês devem rezar muito e purificar os seus corações de odo que sejam vocês os primeiros a caminhar no caminho do MEU FILHO de modo que sejam vocês os justos unidos pela JUSTIÇA do MEU FILHO.

Filhos MEUS, como MEUS Apóstolos vocês devem estar unidos na comunhão que flui do MEU FILHO, a fim de que os MEUS filhos que não conhecem o MEU FILHO reconheçam uma comunhão de amor e desejem caminhar no caminho da vida, no caminho da unidade com o MEU FILHO.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Papa: por que devemos fazer o sinal da cruz nos momentos de perigo?

Antoine Mekary | Aleteia | I.Media
VATICAN CITY 11 OCTOBER 2017: Photographs from the General Audience with 
Pope Francis on October 11, 2017 at Saint Peters Square in Vatican City, Rome, Italy.

Francisco ensinou o significado deste gesto

O Papa Francisco ensinou o poder que está por trás do sinal da Santa Cruz. Foi durante a audiência geral do dia 18 de abril de 2018, na Praça São Pedro.

O pontífice insistiu no significado do gesto que os cristãos costumam fazer em momentos de perigo e para pedir proteção contra o mal. Segundo ele, cada fiel cristão deve saber se abençoar para demonstrar que pertence a Cristo.

“Toda a nossa vida, as nossas palavras, ações e nossos pensamentos estão sob o sinal da cruz, ou seja, do amor de Cristo ao extremo. Fazer o sinal da cruz quando acordamos, antes das refeições, diante de um perigo, em defesa contra o mal, antes de dormir, significa dizer a nós mesmos e aos outros a quem pertencemos, quem queremos ser”, disse Francisco.

Batismo

Aos 17 mil fiéis presentes na Praça São Pedro para ouvir a catequese papal, Francisco também continuou seus ensinamentos sobre o Batismo.

Ao explicar os gestos e as palavras da liturgia batismal, o Papa pediu que os padrinhos e os pais ensinem às crianças o significado do sinal da cruz.

Isso, segundo Francisco, “ajuda-nos a compreender o dom que recebemos neste sacramento”.

O Papa ainda explicou o rito do Batismo e o momento que precede o gesto da Cruz: “os catecúmenos adultos manifestam o desejo de serem recebidos na Igreja, enquanto as crianças são apresentadas a ela pelos pais e padrinhos. (…) O celebrante e os pais fazem o sinal da cruz sobre a fronte da criança, expressando, assim, que ela está pronta para pertencer a Cristo, que nos redimiu com a cruz.”

Francisco ainda lembrou a tarefa deixada por ele na audiência passada, em que pediu para os fiéis checarem a data do próprio Batismo, que é considerado uma espécie de “aniversário” na vida espiritual.

O nome do batizando

“No rito de acolhida do Batismo, o celebrante pede o nome de quem vai ser batizado. O nome indica a identidade de uma pessoa. Deus nos chama pelo nosso nome, ama-nos pessoalmente. O Batismo desperta em nós a vocação de vivermos como cristãos, o que implica uma resposta pessoal de nossa parte. Mas não termina aí: ao longo dos anos, Deus segue nos chamando pelo nome, para que todos os dias nós nos pareçamos ainda mais com seu Filho Jesus”, disse o Papa.


Ao final da audiência, Francisco ainda fez um apelo pela vida do pequeno Alfie Evans, o bebê do Reino Unido que pode ser desligado dos aparelhos que o mantêm vivo por decisão da justiça britânica.


Segunda, 23/04/2018 - Ary Waldir Ramos Díaz / Redação da Aleteia

Senhor, há momentos em que o fardo da vida é tão pesado!

Quando a vida lhe parecer dura demais, leia isso

O santo Cura d’Ars, pouco tempo antes de morrer, exclamou:
“Como a vida é triste! Quando vim para a paróquia d’Ars, se tivesse previsto os sofrimentos que me esperavam, morreria de apreensão”
Há muita gente que pode dizer como o santo, depois de ter abraçado um estado de vida penoso, como, por exemplo, o dos casados. E há momentos, Senhor, em que o fardo da vida é tão pesado! Sentimos necessidade de desabafar o coração, suspirando:
“Como a vida é triste!”
Soframos cada dia o que cada dia nos vem. Não estejamos a dar rédeas à nossa imaginação, pensando no futuro, que nem sempre nos é sorridente. “O futuro a Deus pertence”, diz o povo. Abandonemo-nos cegamente nas mãos da Divina Providência. Tudo quanto nos vem do Alto é bom. É para nosso bem. Tudo é bom para o Céu! Santa Teresinha não queria que se chamasse vida a esta vida terrena, mas sim à vida eterna. Sua enfermeira, vendo-a sofrer tanto nos seus últimos dias, suspirou:
“Ah! Como a vida é triste!” 
– “A vida não é triste, minha irmã, exclamou Teresinha; é, ao contrário, muito alegre. Se dissésseis que a terra, exílio, é triste, eu vos compreenderia. É um erro dar o nome de vida ao que deve acabar logo. Só as causas do Céu merecem o nome de vida. E por isso a vida não é triste; é alegre, muito alegre” (1)
Vida do Céu! Só ela é verdadeira vida! Vida da terra! Como és triste! Triste como a morte!

Referências:

(1) “Conseils et souvenirs. Sainte Therèse de L’Enfant Jesus” (Conselhos e Lembranças – Santa Teresa do Menino Jesus).

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 21. Via Rumo à Santidade)


Segunda, 23/04/2018 -  Rumo à Santidade / Aleteia

Filme “Agnus Dei”: o dilacerante calvário das freiras estupradas por soldados

A excruciante história real das religiosas polonesas de clausura que foram estupradas por soldados comunistas soviéticos - e ficaram grávidas

Enquanto escrevo a resenha deste filme, tremo e sinto meus olhos cheios de lágrimas. “Agnus Dei” (2016) é, absolutamente, um dos filmes mais excruciantes e, ao mesmo tempo, mais inspiradores dos últimos tempos. É um daqueles filmes raros que conseguem nos mudar à medida que assistimos ao desenrolar da história.

Agnus Dei” é ambientado em 1945 e se baseia no diário da Dra. Madeleine Pauliac (renomeada Mathilde no filme). A Dra. Pauliac, médica e tenente do exército francês, foi nomeada chefe de equipe em Varsóvia e responsável pela Cruz Vermelha francesa durante a fase final da Segunda Guerra Mundial, quando a União Soviética já tinha assumido o controle do país.

Podemos até estar “acostumados” com toda a violência presente nos filmes, mas, neste caso, é diferente. Olhar com a consciência de que os eventos ali contados realmente aconteceram foi extremamente difícil – quase impossível.

No entanto, é necessário às vezes assistir a eventos terríveis para entender melhor a nossa história, a nossa fé e até a nós mesmos.

Mathilde conhece uma jovem freira polonesa que escapou do convento para procurar ajuda médica para uma das noviças. Quando Mathilde, uma mulher sem fé, decide por fim acompanhá-la, encontra uma situação inimaginável. Meses antes da sua chegada, soldados soviéticos tinham invadido o convento de clausura beneditino e, repetidamente, violentado as freiras. E, como se isto não fosse causa suficiente de dor e vergonha, muitas delas tinham engravidado.

As religiosas pedem que Mathilde jure manter segredo, porque a Madre Superiora não quer que haja alarme público em torno ao caso, mas a médica recebe a permissão de retornar para cuidar da saúde das irmãs e dos recém-nascidos.

Há muitos temas bonitos no filme, mas o que mais atraiu a minha atenção foi o processo de sanação pelo qual as freiras passaram depois de enfrentarem o mal cara a cara. Embora terrível de assistir, a história é também profundamente comovente e inspiradora.

A diretora do filme, Anne Fontaine, fez um trabalho incrível para capturar o sofrimento, as emoções e os estágios de dor que essa violência causou às freiras. Todas as mulheres atingidas tiveram uma reação diferente às atrocidades que sofreram. Embora estivessem lutando e, em dados momentos, questionassem a Deus, a maioria delas suportou as provações sem nunca abandonar a fé.

Agnus Dei” é um filme que deve ser visto por todos aqueles que ministram aconselhamento aos outros. Pesado, dilacerante, ele lança um olhar intensamente tocante para o coração das mulheres de fé que foram violadas física e metafisicamente. A angústia das freiras é muito pessoal, sim, mas, ao mesmo tempo, é tragicamente comum na experiência humana universal, talvez em especial hoje em dia. Entre as profusas feridas da sociedade moderna, em nossas comunidades e em nossas famílias, há algo a ser entendido que fica explicado melhor na forma de história – inclusive quando é uma trágica história verdadeira.

O Evangelho e os sacramentos não são uma tecla para rebobinar os fatos nem borracha para apagá-los, mas são remédio para o nosso mundo ferido. Como mostra o filme com nuances dolorosas, a Igreja não é condescendente em nossa agonia, e nós mesmos não devemos ser, como ajudantes, amigos, conselheiros ou ministros. A cura dói. E dói ainda mais intensamente quando a ferida é tão profunda quanto a do estupro.

Depois de ver “Agnus Dei“, você terá uma compreensão mais abrangente das questões de fé e dos sentimentos de indignidade com que as vítimas de estupro têm de lidar e lutar. Deixemo-nos inspirar pela força dessas mulheres inocentes e oremos por todas as vítimas de abuso sexual.

VEJA TRAILER:




Segunda, 23/04/2018 - Catholic Link / Redação da Aleteia / Aleteia

Vamos refletir!!

Vamos fazer uma reflexão!

Desde o começo, sobre as escolhas, sobre personalidade e o caminho até o exato momento da vida !

Um ponto de amadurecimento, é a percepção da manipulação que sofremos e até onde iremos permitir sofrer.

Obviamente, uns aprendem e outros não !

Daí, vem a parte mais difícil !!! O quanto serás fiel a si. O quanto conseguirás com os nãos...

Ao viajar só, há tempo para introspecção que muitos têm medo de fazer porque dói se auto perceber!!

Segunda, 23/04/2018 - Inácio Jr.

4ª Corrida Sesi Dia do Trabalhador está com inscrição aberta - Serão distribuídos R$ 14 mil em prêmios. - As inscrições são pela internet

Primeiro de maio está chegando e para celebrar a data, o Serviço Social da Indústria de Pernambuco (Sesi/PE) vai realizar a sua tradicional corrida pelas ruas do Recife. A 4ª Corrida Sesi Dia do Trabalhador terá largada, às 7h, no Cais da Alfândega e vai distribuir R$ 14 mil em prêmios com o patrocínio da Caixa Econômica Federal e Tramontina. A inscrição em uma das mil vagas disponíveis deve ser feita no site www.pe.sesi.org.br até o dia 25 de abril.

Os inscritos vão concorrer em duas categorias: Corrida geral e Trabalhador da Indústria de Pernambuco, masculina e feminina, nos percursos de 10km e 5,8 km, e de caminhada também de 5,8 km para quem deseja se exercitar de uma forma mais amena. Entre os industriários, a disputa será acirrada, pois cerca de 60% dos corredores se inscreveram nesta classe, no ano passado. "A adesão foi muito boa. Acreditamos que ao destinarmos uma categoria específica para a indústria do Estado, motivou ainda mais a participação do grupo", afirma o analista de Qualidade de Vida do Sesi/PE, Fernando Medeiros.

Para participar, os industriários e trabalhadores do Sistema Fiepe (Federação, Sesi, Senai, IEL e Ciepe) pagam valor diferenciado de R$ 20,00, enquanto outras pessoas pagam o R$ 50,00. Já os idosos têm 50% de desconto. "Um evento como este é uma oportunidade ímpar para incentivar as pessoas a abandonar o sedentarismo e dar o primeiro passo para garantir uma vida mais saudável", afirma o superintendente do SESI/PE, Nilo Simões, lembrando ainda que "trabalhadores que praticam alguma atividade física regularmente são mais produtivos e adoecem menos".


Segunda, 23/04/2018 - Rochélle Alves, Jornalista / Sesi Pernambuco

“Eu sou de Nossa Senhora”: uma declaração de amor que viralizou na internet

Uma música que arrepia a pele e engrandece o coração!

Com apenas 18 anos, a cantora Camila Holanda conquistou seu lugar no palco central da cena musical católica. A jovem brasileira, que nasceu em João Pessoa, na Paraíba, começou a cantar aos 2 anos de idade, com o apoio de seu avô.

Sua carreira como cantora começou aos 15 anos, quando sua mãe, Ivana Holanda, decidiu gravar três músicas que Camila cantou em sua festa de debutante. Com o lançamento dessas três músicas, ninguém poderia imaginar o quão longe ela iria.
“Nós só queríamos que nossa filha cantasse três músicas para Nossa Senhora em sua festa de debutante. Esse era o nosso objetivo. No entanto, Nossa Senhora nos surpreendeu, como sempre. O minúsculo projeto deu vida ao primeiro álbum ‘TE IMITAREI’, contendo 11 faixas, e então Deus nos mostrou que havia um chamado maior, e dessa forma Ele conduziu Camila e nossas vidas, para que ela cumprisse esse chamado ”, diz Ivana, mãe de Camila.
Desde que seu primeiro álbum foi lançado, Camila se dedicou a criar e promover a música católica. Em seu canal no YouTube e nas mídias sociais, ela compartilha suas canções, toca músicas de outros artistas e publica vídeos interativos com foco no público adolescente.


Em 2017, um videoclipe caseiro se tornou viral na página do Facebook brasileiro “Papa Francisco – Amigos e Amigas”, alcançando 2 milhões de visualizações e recebendo a atenção da imprensa brasileira e da mídia internacional.

A performance de Camila da canção “Eu sou de Nossa Senhora”, do compositor Carlos Renê, levou a vários convites, um dos quais ela achou muito comovente:
“Uma mulher chamada Florinda Marques me contatou depois que ouviu a música via Facebook e me convidou para ser madrinha de uma associação que ajuda crianças pobres em Moçambique, na África. Eu aceitei e Deus cuidou de tudo. Eu nunca imaginei que eu cantaria no exterior, e Nossa Senhora me presenteou ”, disse Camila com emoção.
Ela também afirmou que não esperava que um videoclipe caseiro tão simples pudesse ter tanto sucesso:
“Eu não imaginava o que aconteceria depois que eu gravei essa música de uma forma muito amadora. Fizemos isso em casa e depois postamos. A marca de 2 milhões de visualizações realmente me impressionou, e os testemunhos de fé das pessoas, as mensagens que eles me enviam todos os dias sobre as experiências de amor de Nossa Senhora… Isso me faz ter fé e acredito que podemos plantar boas sementes ”, conclui.
A jovem cantora se apresentará em um concerto beneficente no próximo dia 28 de abril, em Fátima, Portugal, onde receberá o título “Maid of Honor” da Associação Mãos Unidas com Maria.

Desde outubro de 2017, Camila faz parte do Sony Music Gospel, que lançou o videoclipe “Lugar Seguro”, com novos lançamentos previstos para breve.



Sabado, 16/04/2018 - Redação da Aleteia

Papa: o pecado envelhece o coração

Nas dificuldades do dia a dia, o Pontífice encoraja a deixar entrar “no coração” a verdade de Cristo

Meditando sobre as Leituras e o Evangelho do domingo, que ainda ressoam o clima de alegria pascal pela ressurreição de Jesus, Francisco recorda como os discípulos, quando viram Jesus depois da Ressurreição, tinham duvidado, porque aquela verdade ainda não tinha “entrado no coração”: é “menos perigoso” – observa – ter uma verdade “na mente” do que “tê-la no coração”. Eles “pela alegria não podiam crer” mas – observa o Papa – no fim “acreditaram”:

E essa, é a renovada juventude que recebemos do Senhor. Na Oração da Coleta falamos: a renovada juventude. Somos acostumados a envelhecer com o pecado… E o pecado envelhece o coração, sempre. Deixa o coração duro, velho e cansado. O pecado cansa o coração e perdemos um pouco da fé em Cristo Ressuscitado.

“Não, não penso. Isso seria muita alegria. Sim, sim, está vivo, mas está no Céu com seus negócios”. Mas os seus negócios sou eu! Cada um de nós!

Diante do nosso pecado, prossegue Francisco, temos “um advogado junto do Pai”:

Não tenham medo, Ele perdoa. Ele nos aproxima. O pecado nos envelhece, mas Jesus, ressuscitado, vivo, nos renova. Esta é a força de Jesus ressuscitado. Quando nos aproximamos do sacramento da penitência é para sermos renovados, para rejuvenescer. É isso que faz Jesus ressuscitado.

A nossa “verdadeira juventude” é portanto “a vitória de Cristo sobre a morte, a vitória de Cristo sobre o pecado”:

Peçamos ao Senhor a graça que a alegria não nos impeça de crer, a graça de tocar Jesus ressuscitado, tocá-lo no encontro com a oração, no encontro nos Sacramentos, no encontro com o seu perdão que é a renovada juventude da Igreja, no encontro com os doentes, quando vamos visitá-los, com os encarcerados, com os mais necessitados, com as crianças e com os idosos. Se sentimos vontade de fazer o bem, é Jesus que nos leva a esta ação. É sempre a alegria; a alegria que nos faz jovens. Peçamos a graça de ser uma comunidade alegre, porque cada um de nós é seguro, tem fé e encontrou o Cristo ressuscitado.

Enfim, no final da celebração, diante da igreja o Papa fez uma saudação aos moradores do bairro Corviale, repetindo que “todos precisamos uns dos outros”. Um motivo para irmos adiante “juntos”.


Sabado, 16/04/2017 - Rádio Vaticano / Aleteia

O que é tornar-se criança?

Por si só a criança não é forte, nem virtuosa, nem segura. Mas é como o girassol que se abre ao sol todas as manhãs; de lá espera tudo, de lá recebe tudo: calor, luz, força, vida

“Aumenta a porta, Pai,
porque não posso passar.
Fizeste-a para as crianças,
e eu cresci, para meu pesar.
Se não me aumentas a porta,
torna-me pequeno, por piedade.
Volta-me a aquela idade
em que viver era sonhar”. (1)


Salvar-se, segundo Jesus, é tornar-se progressivamente criança. Para a sabedoria do mundo, isto é algo completamente estranho porque estabelece uma inversão de valores e juízos. Na vida humana, segundo as ciências psicológicas, o segredo da maturidade (salvação) está em afastar-se progressivamente da unidade materna e de qualquer tipo de simbiose, até chegar a uma completa independência e se manter de pé sem nenhum apoio.

Em troca, no programa de Jesus, dentro de uma verdadeira inversão copernicana, a salvação consiste em se tornar cada vez mais dependente, a não se manter de pé, mas sim apoiado no Outro, a não agir por sua própria iniciativa, mas sim por iniciativa do Outro e avançar progressivamente até a uma identificação quase simbiótica, até – se conseguir – deixar de ser eu mesmo e ser um com Deus porque o amor é unificante e identificante; numa palavra, viver de sua vida e de seu espírito. Esta dependência, é claro, é a suprema liberdade, como logo se verá.
“Permanecer criança é reconhecer seu próprio nada, esperar
tudo de Deus como uma criança espera tudo de seu pai; não se inquietar
por coisa alguma, não pretender fortuna…
Ser pequeno significa não atribuir a si mesmo as virtudes
que pratica, crendo-se capaz de algo, mas reconhecer
que Deus põe esse tesouro da virtude na mão da criança; mas
é sempre tesouro de Deus.” (2)
Nós estamos no centro mesmo da Revelação trazida por Jesus, a revelação do Deus Pai (Abbá). Somente se dará o Reino aos que confiam, aos que esperam, aos que se abandonam nas mãos fortes do Pai. Tudo-é-Graça. Pura Gratuidade. Tudo se recebe. Para receber, há que se abandonar. Só se abandonam os que se sentem “pouca coisa”. É necessário tornar-se pequenino, criança, “menor”.

Por si só a criança não é forte, nem virtuosa, nem segura. Mas é como o girassol que se abre ao sol todas as manhãs; de lá espera tudo, de lá recebe tudo: calor, luz, força, vida…

Tornar-se criança, viver a experiência do Abbá (querido Papai) não só na oração, mas, sobretudo, nas eventualidades da vida, vivendo confiadamente abandonados ao que disponha o Pai, e tudo isso parece coisa simples e fácil. Mas na realidade trata-se da transformação mais fantástica, de uma verdadeira revolução no velho castelo arruinado da autossuficiência, do egocentrismo e das loucuras de grandezas.

Mas, uma vez que nós nos abandonamos e nos colocamos na órbita de Deus, então se anulam todas as fronteiras e participamos da potência infinita do Pai amado, de sua eternidade e imensidade.

Extraído do livro “Mostra-me teu Rosto”, de Frei Ignacio Larrañaga.

(1) Miguel de Unamuno
(2) Santa Teresita de Lisieux Obras Completas 1405



Segunda, 16/04/2018 -  Oficina de Oração / Aleteia

Sabe de onde vem o bom humor do Papa Francisco?

No livro “Deus é jovem”, Francisco revela a oração que ele faz há 40 anos para manter o senso de humor

Com o Papa Francisco, o humor e o bom humor adentraram os muros do Vaticano, mudando um pouco os hábitos da Santa Sé – habituada ao formalismo.

Mas qual foi a fórmula dessa mudança? A simplicidade e o senso de humor do Papa lhe permitem viver em harmonia consigo mesmo e com os outros. Tudo sob uma pitada de amabilidade e sorrisos para a multidão.

“Se não se mantém o senso de humor, é muito difícil ser feliz”, destaca Francisco em seu novo livro de entrevistas “Deus é jovem”. Em suas conversas com o jornalista italiano Thomas Leoncini, o Papa descreve o senso de humor como uma qualidade que não deve faltar aos cristãos, pois eles dependem da “capacidade de aproveitar a vida e do entusiasmo”.

O humor, diz o Papa, “é como a água que sai naturalmente efervescente da fonte; há algo mais: [o bom humor] percebe a vida, o movimento”, e a vida é “algo muito sério para ser vivida seriamente”. Ele mesmo, para não correr o risco de levar as coisas demasiadamente a sério – confessa – reza há 40 anos a “oração do bom humor” de São Tomás Moro (1478-1535), um homem alegre e comprometido com os temas mais graves. Esta é a oração que o papa propõe aos jovens no fim do livro:

Oração do bom humor

Senhor, dai-me uma boa digestão,
mas também algo para digerir.
Dai-me a saúde do corpo, mas também
o bom humor, necessário para mantê-la.


Dai-me, Senhor, uma alma simples,
que saiba aproveitar tudo o que é bom
e que não se assuste quando o mal chegar,
e sim que encontre a maneira de colocar as coisas no lugar.


Dai-me uma alma que não conheça o tédio
nem os resmungos, suspiros e lamentos,
e não permitais que eu me atormente demais
com essa coisa incômoda demais chamada “eu”.



Dai-me, Senhor, senso de humor
Amém.



Terça, 10/04/2018 - Isabelle Cousturié / Redação da Aleteia

Assembleia Geral da CNBB começa nesta quarta-feira - Encontro acontece em Aparecida e reúne bispos de todo o país

A partir de amanhã (11), cerca de 400 bispos de todo o país vão se reunir no Santuário Nacional, em Aparecida (SP), para a realização da sua 56ª Assembleia Geral (AG). A abertura do maior encontro do episcopado brasileiro acontece na missa 7h30 da manhã, que será presidida pelo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Sérgio da Rocha.

Após a celebração eucarística, os religiosos seguem para o Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida, local onde serão realizados os principais trabalhos da Assembleia. Acontece ali, por volta das 9h15, a sessão de abertura da AG de 2018. O momento poderá ser acompanhado pela imprensa e será transmitido por canais de inspiração católica.

As atividades do primeiro dia contemplam quatro sessões, onde são debatidas, além do tema central, outros assuntos referentes a vida da Igreja no Brasil. A última delas acontece às 18h e se encerra às 19h30, quando os bispos seguem para descanso no Hotel Rainha do Brasil. A rotina se repete durante todos os dias úteis até o encerramento dos trabalhos.

Além das sessões, ao longo da Assembleia os bispos terão dois momentos de contato com os meios de comunicação. O primeiro deles durante os meetings points realizados às 9h e outro às 15h, na coletiva de imprensa transmitida ao vivo pelo portal a12.com.

História - Em sua 56ª edição, a Assembleia Geral Ordinária da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil acontece desde 1953, quando foi sediada em Belém (PA). Anos depois, ela assumiu caráter anual e se transferiu para Itaici (SP), onde aconteceu por 33 anos na Vila Kostka. Em 2011, por determinação da própria Conferência, o encontro passou a acontecer no Santuário de Aparecida.

"Quando Aparecida acolheu a quinta Conferência do CELAM , a pedido do papa Bento XVI, os bispos e o próprio pontífice ficaram tocados pela proximidade com os romeiros. A partir daí já havia uma movimentação no episcopado para trazer a Assembleia Geral para cá. Em 2009 votamos e decidimos trazer para o Santuário e assim acontece até hoje", recorda o arcebispo emérito de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, que intermediou a vinda do encontro.

Para acolher os prelados, Aparecida teve que se preparar. Além da criação de salas no Centro de Eventos, o Santuário construiu ainda um novo empreendimento para acolher os bispos do Brasil e os peregrinos: o Hotel Rainha do Brasil, que acolhe o episcopado brasileiro em assembleias desde 2013.


Terça, 10/04/2018 - Por Victor Hugo Barros / Flávia Gabriela, Gerente - Comunicação InstitucionalSantuário de Aparecida.

Sesi/PE lança campanha de vacinação contra gripe - Entidade pretende imunizar 20 mil trabalhadores em todo o Estado

O Serviço Social da Indústria de Pernambuco (Sesi/PE) lança, nesta quarta-feira (11), a Campanha 2018 de Vacinação contra a Gripe. A iniciativa pretende proteger os trabalhadores da indústria contra o pior surto da gripe que atingiu os Estados Unidos na última década e já começa a fazer vítimas no Brasil. Para isso, o Sesi/PE antecipa a campanha e começa a vacinar o público já a partir deste mês. A meta é imunizar 20 mil trabalhadores em todo o Estado para evitar prejuízos à saúde do colaborador e à produtividade das empresas. No Agreste, o atendimento será realizado em todos os municípios a partir das unidades de Caruaru e Belo Jardim. Mais informações pelo telefone 0800.600.9606.
As doses fazem parte de um lote preparado para combater a mutação mais recente do vírus Influenza em suas três formas mais graves, especialmente a H3N2, responsável por 47 mil infectados e 63 mortes nos Estados Unidos até fevereiro deste ano e que, de acordo com o Ministério da Saúde, já provocou 10 das 28 mortes no país por gripe até março deste ano e outros 57 infectados.
"A tendência é que com a chegada do inverno os casos de infectados aumentem", afirma coordenadora do programa de Vacinação do Sesi/PE, Ana Flávia Borba. As outras formas de Influenza (H1N1 e B) já provocaram 228 casos e 28 óbitos no Brasil. A Secretaria Estadual de Saúde já identificou a circulação dos três vírus (H3N2, H1N1 e Influenza B) em Pernambuco.
Para facilitar o acesso à vacina, o Sesi oferece a dose pelo valor entre R$ 17,00 até R$ 41,25 para as indústrias, um valor 62% abaixo do praticado pelo mercado. A aplicação é realizada na própria empresa, durante o expediente, ou na unidade do Sesi/PE mais próxima. A entidade pretende finalizar as imunizações até julho ou quando acabar o estoque. “Estamos subsidiando o valor da vacina para garantir que a indústria possa proteger a saúde do seu trabalhador”, assevera o superintendente do Sesi/PE, Nilo Simões.
Apesar de ser considerada uma doença comum, de fácil transmissão, a gripe pode desencadear problemas respiratórios graves e até levar à morte. Anualmente, são registrados de 650 mil óbitos decorrentes de gripe no mundo, segundo último levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS). Ainda, de acordo com a instituição, a gripe é a maior causa de perturbações na vida diária e faltas ao trabalho de pessoas entre 18 e 64 anos.

Terça, 10/04/2018 - Rochélle Alves, Jornalista / Sesi Pernambuco

Em Assembleia, bispos do Brasil discutirão diretrizes para a formação presbiteral - Encontro acontece no Santuário Nacional e atrai episcopado de todo o país

Cerca de 400 bispos de todo o país se reunirão no Santuário Nacional de 11 a 20 de abril em sua 56ª Assembleia Geral (AG). Nesta edição, os religiosos vão estudar a atual situação dos seminários e dar diretrizes para a formação de novos padres.

Entre os documentos que devem nortear as reflexões está a Ratio Fundamentalis Instituitionis Sacerdotalis. A instrução foi publicada no dia 8 de dezembro de 2016, atualizando as orientações de 1985. O texto explicita às Igrejas locais como realizar a formação dos futuros presbíteros e a necessidade de formação permanente.

A expectativa é de que as percepções dos bispos sejam votadas pelo episcopado brasileiro e passem a integrar um texto base. As percepções serão levadas para a Congregação para o Clero do Vaticano, onde deve ser referendado. Só então, o texto se tornará um documento da CNBB que orientará a formação de novos presbíteros no Brasil. 

Ainda durante a Assembleia haverá a eleição dos delegados e suplentes para a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, marcada para outubro deste ano, no Vaticano.

Rotina de oração e trabalho - Diariamente, antes das plenárias, os bispos participarão da missa das 7h30 no Altar Central da Basílica de Aparecida. O momento contará também com a oração é cântico das Laudes, oração matutina da Igreja. Logo após, o episcopado se reúne ao longo de todo o dia no Centro de Eventos padre Vitor Coelho de Almeida.

Também integram as atividades do dia entrevistas coletivas com os bispos às 15h. O momento será transmitido ao vivo pelo portal A12.com e poderá ser acompanhado pelos fiéis. 


Terça, 07/04/2018 - Por Victor Hugo Barros / Flávia Gabriela, Gerente - Comunicação Institucional

OFICINAS AQUECEM O 1° FEARC


Cobertura de audiovisual  e encontro de mamulengos animam o festival.  Eventos acontecerão nos sábados (7) e (14) respectivamente

Dando continuidade às atividades do Primeiro Festival de Artes e Resistência Cultural (FEARC) realizado pelo Grupo de Apoio a Meninos de Rua (GAMR) no próximo sábado (7) acontecerá na instituição uma oficina para produção de conteúdo audiovisual para web a partir de mídias móveis (smartphones,câmeras, tablets), com o objetivo de atender um público que tem pouca familiaridade ou nenhuma com esse material, o jovem Pedro Felipe (21), graduando em Comunicação Social/ Redes Sociais e Produção cultural levará para  o público gravataense a sua experiência e praticidade com essas mídias. A oficina acontecerá de 9h às 16h, no GAMR, a inscrição custa R$ 20,00 que será revertida para o almoço.
 Já os amantes dos mamulengos, poderão apreciar um grande festival com oficinas e bonecos falantes a vontade, no dia 14, no Centro Cultural da Cotunguba do Mestre Galdino, a partir das 19h no sítio Cotunguba,  (antes do distrito de Avencas). Animarão a festa,  Mestre Vino  ( Glória do Goitá), Wagner ( Garanhuns) e Gerusa e Galdino de Gravatá.
O FEARC que começou o mês passado e acontecerá até agosto mês de aniversário da entidade realizadora, vem conquistando adeptos, amantes da cultura popular em especial a nordestina, já se organizam feiras de artesanato e culinárias e grandes encontros com ritmos locais como o maracatu, o pífano e a mazuca. Além de várias rodas de conversas.
Acompanhe nossa agenda no site  do GAMR www.gamr.org.br

Grupo de Apoio a Meninos de Rua (GAMR)
Rua do Cruzeiro, 421 – Bairro do Cruzeiro Gravatá/PE.

Terça, 07/04/2018 - Por e-mail: Edson Oliveira / Assessoria de Imprensa- Manuela Lira 

Com grande procura, Santuário de Aparecida é destaque na WTM Latin America 2018 - Feira reuniu profissionais de turismo no Expo Center Norte, em São Paulo (SP)

Foto: Victor Hugo Barros
Durante três dias, pessoas de todo o país participaram da sexta edição da WTM Latin America, que aconteceu no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Entre os mais de 600 expositores da feira, o Santuário Nacional foi destaque no espaço destinado ao estado de São Paulo. Segundo a estimativa do evento, mais de nove mil pessoas passaram pelo local de 3 a 5 de abril.

O estande dedicado ao maior templo mariano do mundo e seus empreendimentos ficou pequeno para acolher profissionais de turismo, jornalistas e organizadores de eventos, que procuravam conhecer a estrutura de acolhimento mantida pelo Santuário. Os kits levados para a feira, por exemplo, se esgotaram antes do fim do evento graças a alta procura pelas informações do maior templo da América.

A feira marcou também o relançamento dos kits desenvolvidos pelo Santuário Nacional para eventos de turismo. Entre os mais cobiçados estavam o guia da Basílica de Aparecida e a bolsa personalizada. O sucesso dos novos materiais foi refletido na procura dos participantes da WTM pelos brindes oferecidos no estande.

"Vim atrás da bolsa porque ela é linda. Vi várias pessoas passando com ela e fiz questão de pegar uma", conta Sílvia Oliveira, de São Paulo (SP). Há quase dez anos sem vir à Aparecida, ela se surpreendeu ao ver as mudanças no Santuário. "Depois de ver as novidades no guia quero ir e levar toda nossa família que é católica. Só pelo folder vi que tem muita coisa nova e interessante", destacou.

Além de profissionais do turismo, a WTM também reuniu influenciadores digitais, produtores de conteúdo e autoridades da área. Entre os presentes na feira estava o Ministro da Cultura, Marx Beltrão, que reforçou a importância de encontros como este. "Em todo evento, como o da WTM Latin America , vemos a renovação e a inovação tecnológica da área e o turismo é um mercado muito competitivo neste cenário. Portanto, eventos fazem com que todos os players de turismo possam investir em inovação, o que traz muitos avanços no turismo em nosso país e na América do Sul", afirmou.

Ainda neste ano, o Santuário Nacional participará de outras seis feiras de turismo e hotelaria. A próxima delas será o Salão Paranaense de Turismo, em Curitiba (PR). O encontro acontece de 26 a 28 de abril na Expo Unimed Curitiba


Terça, 07/04/2018 - Por e-mail: Victor Hugo Barros / Flávia Gabriela, Gerente - Comunicação Institucional

Por que precisamos da religião em um mundo globalizado?

Quem responde é um pesquisador da Universidade de Yale

Yale é uma universidade encantadora! Neste prestigioso centro universitário dos Estados Unidos não se estudam somente carreiras tradicionais, como Direito, por exemplo. Mas também há cursos de Teologia e são investidos dólares e mais dólares em pesquisas que têm a missão de investigar o papel da religião no mundo globalizado.

Miroslav Volf, ganhador do Prêmio de Religião Louisville Grawemeyer e diretor-fundador do Yale Center for Faith and Culture nos recebe em seu escritório para falar do papel da fé na vida pública. Volf, que é de origem croata, está convencido de que a globalização é uma enorme oportunidade para as religiões e, em especial, para a visão cristã da vida.

Em seu livro “Flourishing. Why we need religion in a Globalized World” (“Florescendo. Por que precisamos da religião em um mundo globalizado”), editado pela Yale University Press, o professor e teólogo explica que as religiões desempenham um papel determinante na vida.

Para ele, longe de ser uma “praga para a humanidade”, a religião é portadora de visões de florescimento. Volf diz que as religiões não estão separadas do processo de globalização. Embora para muita gente a religião pareça algo fora do mundo, ele argumenta que as religiões são parte da dinâmica da globalização e a globalização é parte das dinâmicas das religiões, de sua articulação moral e doutrinária, de sua formação política e cultural e de sua disseminação missionária e entre gerações.

“A globalização passa através das religiões e as religiões estão dentro da globalização”, defende.

As religiões não são um problema

Miroslav Volf é professor de Religião e Globalização e, frequentemente, se encontra com estudantes, que lhe perguntam sobre suas convicções religiosas. Ele se concentra no papel da religião, que define como um problema global que requer atenção, mas não somente como um problema. As religiões são parte “indispensável” da solução, argumenta ele.

A globalização é boa?

“Como cristão, minha visão da globalização é a seguinte: é boa se ajudar a mim e aos outros a seguirmos o caráter e a missão de Jesus; e é deficiente se não ajudar nisso”.

Volf diz que viver somente para as “realidades mundanas” pode nos levar a “um mundo de competitividade, injustiça social e destruição”. Ele sintetiza seu pensamento em várias teses:

– Se somente de “pão vive o homem”, não existem valores transcendentais e a globalização, seja na forma descartada comunista ou na forma capitalista atual, se ocupa principalmente do “pão”;

– as religiões do mundo articulam visões que geram uma nova vida (florescimento), e, no centro, está o divino. Mas elas não são meros lubrificantes para as engrenagens da globalização, como muitos acreditam;

– as religiões, por vezes, legitimaram a violência e impediram o progresso da ciência e tecnologia. Mas não são areia nas engrenagens dos processos de globalização, como muita gente teme;

– a globalização poderá contribuir para melhorar o estado do mundo somente se as visões do crescimento humano e visões morais se articularem;

– O homem não vive somente de pão. Embora a globalização viva disso, não se pode subestimar a vida espiritual de milhões de pessoas;

– a globalização pode ajudar as religiões a não se aliarem a algumas particularidades perigosas e pode fazer com que elas descubram sua genuína universalidade.


O professor Volf é o pesquisador principal de um projeto da Yale financiado pela Fundação Templeton que estuda a teologia da alegria e a busca pela boa vida.


Terça, 06/04/2018 - Miriam Diez Bosch / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...